sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Comandos?

Ok, ok, dei uma pausa nos estudos hj pra explorar a cozinha e ler mais um capítulo do "Reaching the animal mind".
Em uma parte do livro ela fala um pouco sobre a diferença entre comandos e "cues". Não me lembro de existir uma tradução pra cue no jargão do adestrador brasileiro, lembro apenas de comandos. Chamarei de sinal.
Ela fala um pouco sobre a diferença entre os dois e por que ela não chama os seus sinais nos treinamentos de comandos, pois comando traz aquela noção de ordem, de impossição, enquanto que o sinal seria apenas uma sugestão. O animal não é obrigado a fazer o que deveria fazer ao receber o sinal, mas não o fazendo ele perde a chance de ser recompensado.

Pois bem. Esses dias estava conversando com alguem sobre o 2on2off da Léia, de por que eu estou re-treinando ele de uma forma diferente. Depois que li essa parte do livro me dei conta do que realmente me incomodava no comportamento antigo: Era um comando, não um sinal.
Em provas vejo mtas pessoas dizendo "cobra" em relação as zonas, e isso é uma coisa que não quero pra mim, ter que estar lá do lado do cachorro dizendo "ZONA! ZOOONAA!", já de corpo abaixado e postura tensa.
São duas coisas que me incomodam nesse tipo de comportamento: a velocidade do cachorro diminui mto e o acerto da zona fica mto dependente de mim. Francamente, eu sou lerda, descoordenada e estou fora de forma. Pra que vou deixar algo tão essencial para um EZ dependente tão fortemente de mim?

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Thank you for the music

Escutei essa música ontem e achei muito bonita.

Clipes da Léia bebê, que gravei com meu celular. Poucos já viram antes ^^

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Capacidade máxima?

Vivendo no mundo em que vivo, as vezes escutos coisas que estralam na cabeça.

Um dia conversando com um amigo, um adestrador, sobre um outro adestrador. Esse segundo cara tem um Pit Bull treinado que sabe vários truques, uma graça.
Enfim, conversando com ele, ele me solta: "Ele é um bom adestrador. Problema foi que ele pegou um cachorro capacidade de 2gb e quis colocar 4gb, 8gb, nele." olhou pra mim e completou: "Num é não? Pitbull você ensina, senta, deita, junto, fica e olhe lá."

Bom, preciso nem dizer que não concordo. Alias, o cachorro está lá para provar o meu não concordo. Ele pode até errar em alguns truques, mas observando o dono dele é fácil saber porque. Falta reforço na hora certa. A velha história: Seu cão é um reflexo de sua habilidade como adestrador.
Dizer que é culpa da raça é pensamento simplista.

Eu ainda acredito que mais que raça, mais que linhagem, mais do que qualquer outra coisa, o treinamento é a parte mais importante na capacidade de um cão aprender.

Quem tem capacidade limitada são os adestradores que pensam que raça em limite, que nem HD de computador.
Por favor neh...

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Cão perdido em São Leopoldo, RS



Jimmy, Pastor de Shetland cinza e branco, com manchas pretas, e com marcas marrons na cara, fugiu de casa nessa quarta-feira. Parecido com um mini Collie (Lassie).
Qualquer divulgação ajuda, acredito que ele vai voltar e trazer conforto de novo pra sua família.



Qualquer informação liguem para seu dono, Aurélio, 51-9688-7944

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Treino de hoje



Como sempre, pitacos são muito bem vindos :D

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Vídeo antigo

Acho que nunca postei esse vídeo aqui, um treino de Slalon que fiz com a Léia em Julho!
Quando percebi que meu slalon de PVC já não funcionava tão bem, quando o Renê ainda latia para estranhos =P



No final tem umas imagens de uma vez na chacará do Pablo, que a Léia descobriu a maravilha que é nadar no riozinho de lá e também uma imagens de quando começei a tentar fazer ela gostar do cabo de guerra, inspirada por dicas da Sara do Tudo de cão.

domingo, 15 de novembro de 2009

Antes tarde do que nunca!

Os vídeos da 5a. e 6a. etapas da IV copa CBA.

Os de sábado filmados pela Vívian! Obrigada! \o/





Como já disse antes, sábado a Léia estava pirada, doida, maluca, alucinada. Minha teoria é que passar 12hrs numa caixa de transporte deixa ela além do ponto de bala ideal.
Domingo mudei minha estratégia de pré-pista, nada de ficar pilhando ela, só treinando fica. Acho que vou adotar essa por enquanto.
Reparem no segundo vídeo a Val comentando da minha pequena aventura que tive ao chegar em sampa. Me perdi e fui para em Santo André ¬¬
Não me perguntem como...



Revendo os vídeos posso afirmar com certeza que a segunda pista de sábado foi a mais divertida que fiz até agora, mesmo com a eliminação. E a pista mais emocionante foi a segunda de domingo, Aquela reta depois da passarela me preocupou horrores e nem sei como consegui correr, sei que deu.

Triste que não deu pra ir nas etapas desse fim de semana, mas em dezembro irei. Por enquanto fico aqui torcendo pelos amigos que estão competindo lá \o/

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Recomendo

Helen King, conincidentemente a moça conduzindo o Poodle gigante do vídeo de uns posts atrás, publicou um artigozinho no blog da Susan Garrett sobre estrutura para um cão de esporte, bastante interessante. Link aqui.
Tanta informação relevante que estou tendo que considerar para meus futuros planos, queria ter pessoas assim mais próximas, seria muito legal ir a um semináio dela ou algo assim.
Considero estrutura para um cão de agility tão ou mais importante que o temperamento. Simplesmente não acho justo, por mais espetacular que o temperamento ou o drive do cachorro seja, fazer ele treinar e competitir no agility se ele não tem estrutura para aguentar tudo que pedimos. Seria muito triste para o cachorro se seu corpo não aguentasse seu estilo de vida.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

De volta!

De volta a Brasília, em clima de melancolia.

Final de semana foi muito bom, apesar do susto que a Léia me deu na sexta.

A viagem foi tranquila, super cansativa mas tranquila. Cheguei em SP e me perdi total, fui parar em Santo André, aeiuhaeiuae, consegui voltar e a Val foi me resgatar em um posto \o/
Chegando lá na casa dela a Léia resolveu me seguir quando subi pro segundo andar, quase no final da escada ela decidiu que não era uma boa ideia e que o caminho de volta mais rápido era simplesmente se jogar lá de cima. E assim o fez, apesar dos berros meus e da Val ¬¬
Ela caiu de uma maneira muito feia, achei realmente que ela tinha se machucado, mas depois de um tempo de muito paparico ela já estava normal, só não chegava mais perto da escada xD

Sábado na prova foi bacana, gostei bastante das pistas de todos os juízes, foi legal rever o pessoal e conhecer a Dani do Cosmo (Que deram show esse final de semana!). Passei a Léia de cão branco no G1, mas eliminamos porque não consegui alcançar ela em uma reta e ela acabou indo pro obstáculo errado.
Já as pistas de iniciante foi engraçadissímo! Léia estava completamente louca! Na primeira pista quebrou o fica beeem antes de eu estar aonde deveria, me fez correr um bocado mais, pulou a zona de passarela descaradamente e quase foi na boca do túnel errado, novamente porque fiquei para trás. Dei um super berrão e salvei.
Antes da segunda pista fiquei treinando o fica dela e na segunda ela fez direitinho, mas fomos eliminadas. Eu realmente não percebi que ela poderia ir para um obstáculo errado aquela hora. Continuamos a pista e ela tava louca de novo, teve uma outra hora em uma reta que ela fez uns dois obstáculos errados, latindo e reclamando comigo. Foi uma eliminação divertida, bem diferente da ultima prova que eliminei porque estava aerea.

Já no domingo tentei não deixar ela tãão louca antes, treinei o fica na pré pista e conseguimos terminar a primeira pista em segundo lugar. A segunda pista que era o problema. Tinha uma reta depois da passarela, um muro, um salto, a casa, mais um salto e o túnel em U no final. O último salto estava levemente virado pra boca errada do túnel e eu sabia que a Léia já ia sair da casa pela direita, porque era aonde eu estaria. Lembrei de todas as retas do dia anterior onde eliminamos ou quase porque eu não conseguia alcançar ela. Fiquei um tempão matutando como que iria fazer e tinha quase certeza que ela iria tentar ir na boca errada e eu ia ter que gritar que nem uma louca pra impedir.
Pois bem, minha estratégia foi tentar fazer ela ficar na zona pelo menos um pouco. Quem disse que ela ficou? Me lasquei e tive que correr. Não cheguei ao local ideal antes dela, mas consegui jogar ela na boca certa do túnel mesmo assim. Fiquei tão emocionada que por um momento fiquei lá parada pensando "Que que eu faço agora??!?!?!?" aiueheiuhaiue
Terminamos essa pista zerada também e pegamos o primeiro lugar \o//

Foi um final de semana muito bom e tenho que agradeçer a Val por ter me acolhido, sem a qual eu não teria como ir para a prova dessa vez. Muuuuuuuuuito obrigada Val! E também agradecer a todos que me ajudaram em reconhecimentos de pista, em pitacos de treinos, a todos os amigos que estavam lá e fazem a prova ter um brilho especial e já valer a pena só de revê-los.

Vou morrer de saudades de vocês todos até dezembro :~~

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Prova!

Depois de muita reviravolta e suspense, sim, vamos para SP!!

Eu tinha me planejado para ir em pelo menos mais dois finais de semana da copa CBA esse ano, então tinha me programado para ir na prova de outubro e depois na de dezembro.
Depois de toda a confusão com a prova do Hunderwelt, e digo também que não tenho nada contra o Hunderwelt em si, mas como iria de avião ia ficar bem difícil de chegar lá sem depender de ninguem, resolvi abortar a missão e talvez ir em novembro.

Chegou terça feira, inverteram os locais da prova e lá fui eu ver preço de passagem e me programar de novo xD

Resolvi ir de carro mesmo, posso levar os dois cães e da outra vez achei tranquilo, apesar que tinha copanhia. Não sei se terei companhia agora, mas vou de carro de qualquer maneira.

Então! Hoje é o dia em que tirarei todos os meus obstáculos do depósito e vou fazer uma simulação de pista, que nem da última vez. Treinei bastante a Léia nesses últimos tempos, teve uma semana que treinamos todos os dias, mas mesmo assim, quem sabe xD

A mala já está pronta, os mapas impressos, as músicas escolhidas no MP3, só falta dar banho no cão e esperar chegar amanhã!

Vejo vcs lá na InCão :D

domingo, 18 de outubro de 2009

Eu queria ter um - Poodle gigante

Copiando descaradamente da Maria.

Sim, um poodle gigante. Por quê? Porque seria o máximo chegar todo dia em casa e se deparar com uma coisa assim no portão, todo estufado, posando de cão de guarda xD

Foto: Wild Boy of Quindim , Canil Quindim

e ainda fazem agility!



Fala sério, tudo de baum xD

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Treino de hoje

Na casa do Tairã.

Só uma coisa a dizer: 2 condutores com espírito de criança + um túnel=



*Preguiça mesmo de virar a imagem xD

Voltaando!

Teeeempos que não posto!

Depois do seminário com o Dildei acabei treinando tanto a Léia quanto o Renê todos os dias, foi uma semana divertida!

Muuuuito treino de rearcross com a Léia, cimentando o fundamento que começamos a uns meses atrás. Tá bem legal! Próxima coisa que vou ensinar de verdade pra ela vai ser o Out. Não conta pra ninguem, mas a Léia não faz out direito ainda não, aeiuheaiuhie
(Imagina, nem é importante né?)

Fico lembrando das coisas que não foram tão bens quanto eu esperava na ultima prova e tenho me focado em treinar essas coisas. Um dos refugos da Léia no domingo foi minha culpa, chamei ela cedo demais e fiz ela desviar do salto. Já o segundo foi falta de treino de rearcross no tunel, principalmente túnel em U.
Na passagem de cão branco dela, ela saltou da gangora antes de bater no chão, treinamos isso um poucos também, mas confesso que foi pouco. A eliminação dela se sábado nem comento, foi completa falta de treino mental meu de competição, de acontecer algo imprevisto e acabar deixando a mente divagar no "por que" antes de terminar a pista. Eu treino a Léia aqui com 40cm, altura de midi, nos saltos. Eu nunca imaginaria que ela ia derrubar uma barra de 25cm como ela fez na segunda pista de sábado. Inclusive, ver aquela pista de iniciante com todos aquele saltos baixos me deu uma agonia no primeiro dia, porque sabia que ela ia correr muito mais do que costume xD
Alem disso, não gostei dos ficas dela na prova, mas culpo meu nervosísmo.

Enfim! Sei que já postei os vídeos da prova aqui um tempo atrás, mas o Tairã fez uma montagem que ficou muito legal das nossas pistas, então ae vai:



Falando nele, ele adotou uma SRD liiiiiinda, provavel que em dezembro ela vá visitar SP =D

Já sobre os treinos do Renê, outro dia ele me deu um susto danado! Resolvi treinar ele com um brinquedo, ao invés de salsicha e o treino foi muito bom! Maaas no final ele começou a ter ataque hipoglicêmico! Coitado, ficou tão empolgado com o brinquedo que nem ele percebeu que tava cansado, foi uma sessão de treino de duração normal, nada fora do comum alem do brinquedo. Nada que um monte de salsicha e um booom descanço não tenha resolvido, mas na hora fiquei louca. As histórias de Papillons morrendo por conta de hipoglicemia não são poucas. Então, desde de então, não tentei treinar com o brinquedo de novo.
Agora ele tá fazendo o túnel e ainda terminando o slalom. Mas meu objetivo com o Renê nunca foi ensinar os obstáculos em si, mas sim treinar foco e isso ele melhorou horrores. Quero levar ele na prova de dezembro pra ver como ele vai se comportar na bagunça xD

Para terminar esse post gigantesco, um vídeo da Léia entrando na caixa... do Renê!
Lembro da primeira vez que vi ela entrando nessa caixa, eu nunca imaginaria que ela caberia ali! Agora se eu bobear e deixar a caixa dele aberta do lado da minha cama, ela dorme lá dentro, aieuhaeiuhaeiuhae



Bem, por enquanto é isso! Clima de prova tá baixando em mim de novo! hohoho! Mas com menos nervosísmo dessa vez =P

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Final de semana: Seminário com Gottfrield Dildei

Pensem em um final de semana cansativo!
3 dias traduzindo o Dildei durante horas.

O que posso dizer? Foi fantástico.

Um cara que não só ele ganha campeonatos, mas seus alunos também, e que treina cães a tantos anos virar e falar que já usou tudo quanto é tipo de método de treinamento e que os métodos motivacionais que ele usa agora são os que ele comprovou, por experiência, que dão melhores resultados, foi sem preço isso.

Com certeza uma experiência super valiosa pra minha tão jovem carreira de adestradora.

A coisa mais importante que ele falou, para mim, durante o seminário:
"Motivação é mais poderosa que qualquer tipo de punição"

Muitas coisas que ele falou no contexto do Schutzhund ou da obediência, mas que servem sem tirar nem por pro agility.

Empolgação renovada para treinar ^^

Espero que ele volte ao Brasil ainda e que mais pessoas tenham a humildade de aprender com ele.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Papillons no mundial

Ok, ok, sendo essa a minha raça preferida, eu sempre fico de olho nos resultados dos pequenos orelhudos nos mundiais. Ano passado me lembro até de ver alguns vídeos do Gismo, da espanha.

Esse ano, alem dele, temos também um Papillon na equipe da inglaterra, o pequeno Puzzle, conduzido por Dawn Weaver (Sobrenome sugestivo pro agility, não?).

Já no time da Eslováquia temos Pavol Vakonic conduzido April

e mais uma lidinha orelhuda representando os Países Baixos, Willow, conduzido por Ietje Postma-Elgersma.



Mas, com toda certeza, o papillon que mais me chamou a atenção foi o "pequeno" AC/DC, e acho que uma foto vale mais do que mil palavras:



Coisas que me chamaram a atenção:
Primeiro, é um papillon Midi.
Segundo é um Papillon chamado AC/DC!! Quão legal é isso?
Terceiro, olha o dono! Eu nunca imaginaria que uma pessoa dessa tem um Papillon, mesmo que seja um grandão.

Devo dizer, imaginar um Pap do tamanho da Léia me fez rir :D

Supreenda-se

É o que desejo para todos hoje.

A algumas semanas atras o Pablo me pediu para ser interprete de um alemão, Gottfried Dildei, que vinha a brasília dar um curso de Schutzhund. Confesso que nunca tive o menor interesse pelo esporte, principalmente pelo modo de treinamento que sempre vi fazerem.

O cara chegou hoje, Pablo me ligou falando que pessoal tava desesperado, precisando de alguem que falasse inglês, então fui lá, na nobre companhia do Tairã.

A primeira coisa que fez ligar as anteninhas foi a Malu, umas das organizadoras do curso, me falar que ele usa petisco no treinamento de Schutzhund.
Mas esse cara conquistou meu interesse e minha confiança quando começou a me explicar sobre seu método e disse que fundamento era tudo, que um cachorro com um bom fundamento faz qualquer coisa. E ainda adicionou que o problema são as pessoas, que acham fundamento boçal e sem propósito.
:o
Logo mais tarde, estavamos todos em silêncio, ele virou para mim e começou a contar o caso de uma aluna dele, que foi fazer um seminário de Schutzhund com um outro adestrador e que mais tarde esse adestrador veio falar pra ele, que como a menina ficava dando petisco para o cão que eles não tinham uma relação clara de dominância. Ele me vira e disse "Os caras querem o que? Eles pegam filhotes, dão susto atras de susto e quando o cachorro morde, eles dão uma dura nele e ficam se achando os dominantes. Um dia, não vai ter dura que seja suficiente, um dia vai ser o filho deles pisando no pé ou no rabo do cachorro, e o cachorro vai ferrir alguem. Ae quero ver eles pregarem discurso de dominância por força."
^^

Sinceramente, eu esperava passar uma noite boçal com um cara falando de enforcadores, trancos e tapas. Tive um dia agradável com um grande cinófilo e adestrador.

Meus amigos, espero que todos um dia estejam errados quanto a um mau pré-conceito sobre alguem. É a melhor sensação do mundo.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Estudando que nem uma louca, tenho concurso para fazer no domingo.
Fazem 5 anos que passei no vestibular e desde então, com excessão de uma ou outra matéria mais difícil ou empolgante, ou com excessão de coisas sobre treino, eu nunca mais tive a disciplina que tive com estudos naquela época. Deveria.

Estava agora na sala treinando um pouco os cães. Tentando tirar umas manias chatas da Bela por meio de punição negativa, ensinando truques novos pra Léia e fazendo uns exercícios de fundamento com o Renê.

E, é claro, enrolando para efetivamente começar a estudar xD

domingo, 6 de setembro de 2009

Voltando a rotina

Ainda voltando a rotina de brasília: faculdade, estágio... Por que diabos ainda não estou formada?

Devo dizer que competir foi bastante viciante, já estou com saudades da galera que conheci em Sampa.

Ontem estava super cansada, então resolvi não ir ao treino. Deixei essa semana de folga pra Léia, não treinamos nada alem de truques, achei que seria bom pra ela se recuperar do estresse físico e tals.

A lista de coisas que tenho que treinar com ela deu uma leve aumentanda. Basicamente, continuar treinando o rearcross e voltar a treinar a gangora.

Sexta fomos, eu e o Tai, à casa do Pablo treinar dois dos Borders dele. Cães malucos. Tai levou uma beliscada do que ele estava treinando, o Fred, enquanto que a minha, doidinha, a Gigi, ficou o tempo todo pastoreando os dois. Mas os dois são uma graçinha, o Fred principalmente.
Voltaremos lá amanha.

Treinei também o Renê essa semana, mas só fundamento e salto. Indo bem até, o baixinho. Meu plano é estreiar ele daqui a um ano, vamos ver se rola =D

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Copa CBA

Foi muito legal!!

TUDO foi legal, desda viagem de ida até a de volta. Tive ótima companhia no carro da Joanna e do Tairã, dois loucos com certeza em me acompanhar nessa aventura :D
Ri horrores no carro com esses dois xD

Chegamos em SP na sexta e fomos no fim do dia treinar um pouco no DW, foi muito legal!
Toda aquela minha preocupação de que a Léia ficaria com medo, que ia fazer tudo devagar ou não fazer e tals, foi por água abaixo. A Léia se comportou como se tivesse fazendo agility aqui na frente do nosso prédio. Não tava nem ai pras pessoas, pros cachorros, pro lugar novo. Foi muito melhor do que eu esperava. Muito mesmo.

No sábado, a gente corria só no fim do dia. A cada cachorro que sai da pista a ansiedade aumentava.
A primeira pista de sábado dela foi linda e perfeita, já valeu a viagem :)
Zeramos com um tempo muito bom. Foi a estréria perfeita.
Já a segunda pista veio para equilibrar as forças do universo xD
A Léia se estabacou no segundo salto, eu fiquei preocupada e esqueci o que tinha que fazer no resto da pista. Fiz um pivô num lugar errado e fiquei mto para trás, então ela com 4 bocas de tunel a vista, a Léia resolveu escolher em qual que ela ia entrar quando gritei "tunel!!" desesperada. Foi uma noobagem total.



Domingo foi engraçado também. A prova começava as 9hrs e os iniciantes eram os primeiros. Perdemos a hora e acordamos as 8:30hrs :o
Ainda bem que o hotel era próximo ao DW, consegui chegar um pouco antes do reconhecimento de pista.
As duas pistas foram boas, nem puxei muito velocidade, mas acabei fazendo ela refugar na primeira pq chamei ela cedo de mais e ela desviou de um salto (Boa menina!) e na segunda tmabém tivemos um refugo, ela entrou e voltou de um túnel (Esse não aparece no vídeo, Tatai resolveu filmar a bunda do juiz na hora xD).



No fim das contas, voltamos para casa com uma medalha de segundo lugar de domingo :)

Como eu disse, foi muito mais do que eu esperava ^^

No domingo também fiz cão branco com ela no grau 1, foi bem bacaninha, um pequeno pulo da gangora antes que batesse no chão e só.



No mais, adorei tudo. Todo mundo foi simpático comigo, todo mundo me ajudou e me deram apoio. Conheci muita gente nova, revi algumas pessoas e tals, me diverti horrores.
Adorei ver as pistas do open, a emoção no final era muito legal xD
Foi muito bom ver as duplas mais experiente e tudo mais.

Enfim, foi tudo perfeito e nós estaremos de volta em outubro =P

domingo, 23 de agosto de 2009

Ultimo treino...

...Antes da nossa estréia. Foi muito legal.

Pablo me lembrando um monte de coisas que não posso esquecer pra competição, detalhes e mais detalhes tipo "Não tira os olhos dela" xD

A Léia estava muito louca, como nunca ficou antes. Ela não tava fazendo os ficas (Que hora, Léia, para começar a ter problema com o fica!), depois de tentar umas 3 vezes e ela sair em disparada, desisti e sai correndo junto com ela desdo começo, a lá Silvia Trkman, e corri que nem uma condenada para chegar no local dos pivôs a tempo. Também ontem ela perdeu uma zona de Rampa, coisa que faz tanto tempo que não acontece que eu nem sei se já aconteceu, realmente, alguma vez.
Tirando essas coisas, foi muuuuito bom, consegui acompanhar ela e tirando essa zona, naum erramos mais nada.

Mas, com certeza, o ápice de ontem para a Léia foi no final. Estava já me despedindo do Pablo quando vejo de canto de olho a Léia se esfregando furiosamente no chão. NUNCA é coisa boa quando ela faz isso. Simplesmente ela achou um montinho de bosta de ovelha e estava toda feliz transferindo aquele cheiro, que na concepção dela deveria ser o cheiros dos deuses, para si mesma. Tirei ela dali, indagando por quê?!?!? e logo ela começou a rolar na grama, toda feliz. Não tinha como não rir.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Vídeos

Alguns vídeos antigos que esqueci de dar upload na epoca e que, ainda assim, esqueci de postar aqui no blog.

A primeira vez que treinei a mesa da Léia com clicker:



E a primeira vez que treinei o túnel fechado, mas apenas o final do treinos, quando o tecido já estava no chão:



Faz tanto tempo isso, creio que foi no começo do ano.

Momento nostalgia

Ontem antes de durmir fique um bom tempo pensando sobre a competição no fim do mês.
Fiquei lembrando de todas as etapas do treinamento da Léia, de todas as coisas que não pareciam muito boas e me fazia correr atras de informação.
Mas mais do que isso, fiquei pensando em coisas mais práticas, tipo: o que diabos tenho que levar pra sampa?

Para me ajudar um pouco, tirei da estante meu primeiro livro sobre agility: "The Beginner's Guide to Dog Agility" da Laurie Leach. Lembro que uma menina em um forum me recomendou esse livro quando eu disse que estaria começando. Eu nem tinha a Léia ainda, eu nem sabia se que a Léia seria um SRD adotado da zoonose. Nessa época ainda considerava um Cocker ou um Terrier Brasileiro. Provavelmente ninguem aqui conhece a autora do livro, isso porque ela não tem, realmente, grandes títulos com seus cães, bom, pelo menos não fala nada sobre isso em seu livro. Mas o livro é ótimo e folheando ele novamente percebi como ele foi importante pra percepção do agility que tenho hoje.

O primeiro capítulo chama-se "Falling in love with agility" e o quarto: "Keeping it positive".
Provavelmente são os dois capítulos mais importantes do livro.
Técnicas de treinamento dos obstáculos em si é a parte fácil do agility.
Já começar o esporte com a mentalidade de querer sempre me divertir, proporcionar um bom passatempo pro meu cão e fazer isso sem utilizar de métodos aversivos, foi o que fez toda diferença para mim.

Quantas coisas importante que aprendi com esse livro: A ter paciência, ser consistente e que o cachorro não é burro, ele aprende qualquer coisa desde tenhamos competência e habilidade para lhe ensinar.

Esse livro não fala absolutamente nada de trajetória.
Um pouquinho sobre condução, explicando rear e front crosses (Não o suficiente, na minha opnião, para um iniciante aprender a fazê-los).

Mas aprender a amar o esporte, respeitar meu cachorro, tornar todo treino uma brincadeira, ter paciência, consistência e treinar, realmente, meu cachorro, foi como se isso tudo fosse o fundamento para um futuro condutor de agility, da mesma maneira que treinamos fundamento com um filhote futuro agilista:
Tornou todo o resto mais fácil.

sábado, 15 de agosto de 2009

Cão de Sucesso - Genética ou Manejo?

By Maria Valladares

Nossa, essa temática é por demais complexa e polêmica. Nem sei por onde começar a dissecá-la. Mas, vamos tentar. Já vou logo avisando, rs, o post é gigantesco, mas é que não dá pra resumir, é muito complexo. Leia quem quiser!
.
O grande motivo de debate é à cerca do principal ingrediente do cão de sucesso no Agility: genética ou manejo. Para começar, vamos definir manejo. Manejo é o que eu coloco como tudo que se faz com o cachorro, é a sua rotina. É como o educamos, como o criamos, como lidamos com ele. É tudo o que fazemos com ele, desde alimentação, passando por condicionamento físico e treinamento. É tudo que se adiciona ao cachorro durante sua vida. É o fator adquirido. Genética é uma variável que pode-se potencializar, no entanto não se pode alterar.
.
O cão de sucesso não é somente fruto de genética ou de manejo. Todo mundo sabe que um filhote megadrive pode ser facilmente estragado pelo manejo. E que no entanto não há manejo que faça um Pequinês ser campeão mundial. Todos sabemos disso. É óbvio concluir que um dos fatores não trabalha sozinho. Bom, esta é a minha opinião, e meu método.
.
Primeiro, sobre a genética. Genética determina estrutura física e instinto. Outra coisa que se confunde muito é instinto com temperamento. Instinto é o conjunto de coisas para as quais o cão está programado para fazer. Como um Border que pastoreia e um Labrador que busca coisas. Temperamento é a personalidade do cão. É se o cão é corajoso ou medroso, por exemplo. Ser corajoso ou medroso não tem nada a ver com a habilidade de pastorear ou buscar coisas. Claro, um temperamento pode atuar sinergicamente ou antagonicamente com o instinto, mas não são duas coisas iguais. Em se tratando de instintos iguais, um Border medroso pastoreia tão bem quando o corajoso, porém o fator psicológico o impede por razões diversas de apresentar o mesmo desempenho. É como dois corredores que correm a mesma coisa em um galpão fechado, mas um deles, menos tímido - TEMPERAMENTO, corre melhor em público pois não se inibe. É aquele aluno muito inteligente que não sai da nota baixa pois é preguiçoso. Por aí vai. É multifatorial demais para tentar simplificar.
.
Então a genética determina estrutura física e instinto. As pessoas selecionam cachorro de Agility por temperamento, uma incoerência - já que não é algo transmissível. Não, não é transmissível. Se fosse assim mãe boa não produzia filho delinqüente, coisa que mais há por aí. Na verdade, os melhores às vezes são melhores por causa de estrutura e não de temperamento, e a seleção da melhor estrutura é feita indiretamente. É por isso tão somente que a seleção do cão de Agility dá certo. Instinto há melhores e piores. Sabemos que é difícil contornar o instinto de caça de um terrier. O Border e o Sheltie são bons pois são instintivamente focados no trabalho.
.
Com a genética podemos selecionar um instinto mais favorável, o que já é feito, e estrutura, o que não é feito. Não adianta o cão ser megadrive se tiver patela frouxa ou displasia coxo-femoral. Desempenho atlético é decorrente puramente de estrutura física, de angulações de ossos, de massa muscular, de capacidade cardiopulmonar. Claro, também, mais uma vez, não adianta ter o cachorro fisicamente perfeito se não há um trabalho de treinamento físico que potencialize essa estrutura. Condicionamento físico também não se faz. Pensa-se que um Border que fica o dia inteiro no canil pode correr tão bem quando um que pastoreira 8 horas por dia. Até pode fazer isso, mas não terá a mesma vida útil. Novamente, multifatorial.
.
E então vem o manejo. Manejo físico e psicológico. O físico consiste em potencializar o que o cão tem de bom fisicamente e melhorar o que não é tão bom. É bolar uma rotina de condicionamento físico para deixar o cão fisicamente capaz ao máximo. Não vejo muito um trabalho nesse sentido. Agilitista é atleta? Poucos são, pois pra mim é atleta aquele que treina condicionamento físico. Quem sabe técnica, é técnico. A maioria dos cães são técnicos. E esse trabalho de condicionamento, que gasta muito mais tempo que o treinamento técnico, é que vai fazer a diferença.
.
O manejo psicológico é saber entender e lidar com o cachorro. É ensinar ao cachorro aquilo que pode fazê-lo dar o máximo de si. É ensiná-lo a se concentrar é ensiná-lo a acertar e errar, é ensinar a aceitar correções, é ensinar a enfrentar seus medos, é ensinar a gostar de correr. Esse manejo psicológico vai de acordo com o temperamento do cão. Devemos trabalhar no sentido de exacerbar o que o temperamento tem de bom, e buscar inibir o que há de ruim. É estimular a coragem e desestimular o medo. É algo que leva uma vida, são as 23 horas fora da pista. Com manejo psicológico, pode-se contornar "n" problemas de temperamento. Sabemos bem que a Jade Barbosa, apesar de ótima ginasta, não iria durar muito com todo aquele drama e chororô que ela faz. Ela é fisicamente boa, mas a cabeça a atrapalha. Às vezes dá pra contornar, outras não.
.
Mas tenho certeza de uma coisa. De que MUITO cachorro bom não se torna um sucesso por que não recebe um bom manejo psicológico - o físico nem entro no mérito. Não se sabe fazer esse manejo ou, se sabe, não há paciência. Não é algo que dê resultado da noite para o dia e as pessoas desejam isso. Cachorros bons são abandonados pois apresentam temperamentos problemáticos, mas consertáveis.
.
Querem saber minha mais profunda opinião? Determina-se que um cachorro é "assim" ou é "assado", pois dessa maneira jogamos nele a culpa do insucesso. Tiramos das nossas costas a culpa da falha. Afinal, não fomos nós que não ensinamos o cachorro a ser corajoso. Ele simplesmente é medroso e ponto final. O cachorro é ruim, o cachorro não tem foco, o cachorro é disperso, o cachorro não gosta, o cachorro isso, o cachorro aquilo. Alguém já parou para pensar que, em muitos casos, a culpa foi do condutor que não soube ensinar o cachorro a ser bom, não soube ensinar o cachorro a se concentrar, a gostar da coisa? É mais fácil culpar o cachorro ou a natureza do que admitirmos que nós estamos errando. Querer coisa pronta de fábrica é muito mais fácil do que trabalhar para aprontar a coisa.
.
Então, cachorro de sucesso é aquele que apresenta boa matéria-prima. Isto é, fisico correto ou sem grandes defeitos, e um temperamento equilibrado ou sem grandes problemas. O resto é da sagacidade de saber trabalhar com o material que se tem para potencializá-lo. Trabalhar, trabalhar e trabalhar. Bom, MINHA concepção das coisas!!! Afinal, eu escolhi cachorro baseada na estrutura física, e temperamento eu trabalho e contorno problemas.
.
Atirem as pedras, hehehehe.

http://marvallshetlands.blogspot.com/

----

Concordo plenamente :)

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Sistemas de condução

Só para colocar mais lenha na fogueira xD
Pista da Susan Garrett na Canadian Cup, onde ela ficou em primeiro com a Encore.
No blog ela diz que não disse uma palavra durante todo o percuso, alem do OK na largada.
Nada de escandalos, nada de palmas, nada de chamar o nome do cão. O cachorro sabe onde vai pela linguagem corporal dela e isso salva tempo.



Achei uma pista linda.
Sou adepta da filosofia que no agility a velocidade vem com confiança, e a confiança vem com a aprendizagem. Se vc é sempre consistente em seus sistema de condução, seu cachorro não vai ter dúvidas e será rápido. Não importa qual sistema você use =P

Freecycle

Olá pessoal!

Hoje estou muito feliz com meu novo monitor, que ganhei de uma moça pelo freecycle.
O freecycle é um grupo de e-mails onde as pessoas doam e recebem coisas, a ideia por tras dele é evitar que essas coisas sejam jogadas fora, diminuindo o lixo. É uma ideia bem bacana.
A moça que me doou o monitor já morou na frança e disse que lá o freecycle é bem mais movimentado que aqui no brasil, sendo que até carro para doação ela já viu.

Bom, meu antigo e companheiro velho monitor estava com problemas, ele era escuro pacas, com gama e brilho no máximo ainda ficava escuro. Agora eu vejo as coisas como elas são, woot!

Bem, é minha dica, participem do freecycle =P
Lista de grupos ativos do freecycle do Brasil: http://www.freecycle.org/group/BR/Brazil

Hoje treino com a Léia, ainda não treinei nenhuma vez essa semana devido as vacinas dela =x
(Mentira, foi pura preguiça minha xD) E hoje devo fazer mais um obstáculo para ela, o salto em distância, que é de extrema urgência, pois a Léia nunca fez um salto em distância na vida dela xD

domingo, 9 de agosto de 2009

Video do treino

Fiz o vídeo, ficou muuuuito longo mas não deu pra cortar muita coisa, foi tão divertido esse treino.

A Léia estava especialmente maluca esse dia. Sempre que a gente errava e eu parava ela latia furiosamente pra mim e choramingou muiiito, principalmente nas curvas e nos pivôs.

Como disse no outro post, mtas barras foram ao chão, mas revendo os vídeos vejo que quase todas foram minha culpa, por tentar apertar demais as curvas dela.

Opniões são extremamente bem vindas :)

sábado, 8 de agosto de 2009

Treino de ontem

Postagem rápida sobre o treino de ontem, antes de sair pra o treino de hoje.

Essa coisa de condução é muito difícil xD Ter que parar no local certo para fazer pivôs ou o que seja para logo depois ter que sair correndo pra outro lugar confunde minha cabeça.
Pelo menos ontem eu não destrui nenhum obstáculo, no treino de quinta eu tava super dislexa e trombei no mesmo salto umas 50 vezes.

Testei em qual distância a Léia ficaria do primeiro obstáculo, depois de algumas ideias da Maria sobre isso, e até que ela fica bem distante. A diferença na velocidade é realmente boa, vinha que nem um fogete. Ainda tenho que treinar as habilidades de salto dela, muuuuitas barras ao chão, principalmente em curvas.

Vou editar o video hoje mais tarde, mas foi bom o treino.

Eu queria tanto que essa mania de acordar as 6 da manhã não se aplicasse ao fim de semana u.u

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Sonho

Essa noite sonhei que tinha ganho um filhote de pastor de shetland.
O sonho foi muito vivo, meu pai me deu a filhota de presente, era uma fêmea marta do Emporium dos cães, da Camila xD
Lembro que ela tinha um colar e uma listra beeem fininha na testa. Lembro até do nome: Fealie, que por algum motivo era pronunciado "fili". Gostei, mas acho que a Cá sempre dá nome mais legais pros cães dela =P
No meu sonho estava levando a filhota pra primeira visita ao vet e logo depois pra primeira visita a pista de agility, para socializar. Enquanto a Léia ia fazendo ela ia correndo atras que nem uma louca.

Será que significa algo? xD

Agora tenho que ficar me reprimindo, 4 cachorros em apartamento num dá não. Mas confesso que como o sonho foi tão real, a vontade aumentou...

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Post rápido II

Ainda viva xD

Treinando tantas coisas com a Léia, tantos detalhes, mas ao mesmo tempo ainda acho que estou treinando pouca coisa. Sei lá, sensação de que estou esquecendo de algo importante u.u

Arrumei dois escudeiros pra ir comigo pra sampa no fim de agosto \o//
Quando mais pessoas conhecidas da Léia forem, melhor. Mais fácil vai ficar pra ela se adaptar ao local e não surtar tanto.

Alias, sábado agora a Léia faz dois anos =P
Passou tão rápido ^^

Treinando muito o renê também, ele agora gosta de andar na minha direita, apesar de ainda preferir a esquerda. Vejo que terei que trabalhar muito isso com ele.
Tá ficando legal, mas temos treinando só fundamento, nada de obstáculo a não ser um 2x2 de vez em quando. Não tenho pressa =P

Ficando completamente surtada com a proximidade do fim de agosto.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Novo truque

Inspirada pelo Vader, da Val, que durante o curso do Dante conquistou meu coração ^^

terça-feira, 30 de junho de 2009

Bela

Hoje acordei hiper cedo pra levar um baita susto: Bela tava morrendo de dor. Só de tocar nela ela gritava e ao tentar pegar ela no colo ela mordia. Tava andando toda curvada e não deitava.

Fui ao vet, tirou raio x e tudo e viu que ela tem bico de papagaio (Artrose na coluna). Maravilha.

Fiquei muito com o coração na mão, ver seu cachorro de 13 anos gritando de dor quando vc tenta fazer carinho nele não é bonito.

Então, fui já dar uma pesquisada sobre o assunto, vou mudar um pouco a alimentação dela, procurar fazer acupuntura e de quebra vou levar a Léia também, de forma preventiva.

O que eu queria mesmo era um vet quiroprático paras duas, mas ainda não achei nenhum aqui por perto :((

Depois de medicada, a Bela já está bem melhor, já até deu a coçada de costas tradicional das manhãs dela na minha cama, latindo e rosnando xD

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Lidando com frustração


Sábado teve treino na casa do Pablo. Agora com o Agility brotando em alguns lugares em brasília, acabo tendo que escolher entre ir treinar em um lugar ou outro.
Bom...

Algumas coisas que fiquei pensando sobre o treino, e sei lá, não quero que isso soe como reclamação ou choramingação, mas é o que acontece.

Na mesma quantidade e proporção que a Léia é totalmente brilhante e genial, eu sou ruim. De uns meses pra cá eu tenho sempre ficado para trás. Enquanto ela tem evoluido muito com os treinos, minha condução ainda é terrivel. Eu não tenho fôlego para acopanhá-la. E o Pablo começou a cobrar isso de mim agora.

Preciso mudar algumas muitas coisas.

Pensando nisso e pensando em competir ainda esse ano, começo a pensar em uma coisa muito importante, que, não vou negar, sempre tive uma ideia basica: Objetivos.

Eu não tenho, como nunca tive, com a Léia as maiores pretenções. Eu começei a treinar agility com ela para aprender. Talvez por isso eu sempre tenha feito tudo direitinho. Eu nunca tive pressa com ela, eu nunca pensei "poxa vamo treinar isso dessa maneira mais rápida pra gente poder competir logo". Não.
E isso não mudou muito. Quero competir? Quero. Mas é mais por ir e ver o agility nacional do que para ganhar. Não acho que adiante em nada ficar aqui com meu agility de fundo de quintal e nem é o que eu quero. Conheço algumas pessoas pela net, conheci alguns no curso do Dante e ver toda essa galera que gosta tanto de cachorro como eu me anima e muito.
Não dá para fazer o agility crescer ficando só no meu quintal.

Adepta do Shaping que eu sou, creio que os objetivos tem que ser tangíveis, mas não confortáveis. Sonhar alto de mais gera frustração, querer pouco gera falta de motivação por falta de desafio. Isso quer dizer que a gente tem que sonhar a partir de nossas capacidades, significa que temos que nos limitar?
De maneira alguma.
Significa que não adianta você pegar o seu primeiro cachorro de agility e esperar que vocês cheguem no seu primeiro campeonato e saiam como campeões. Pode ser que aconteça? Pode. Mas é muito mais provável que não.
Então, pé no chão é fundamental, mas ter uma visão de futuro também. Você não deve esperar que no seu primeiro campeonato vc seja campeão, mas quem sabe daqui a alguns anos?
Por hora, fico contente em chegar lá e a Léia não surtar porque tem um monte de Border collie latindo na beira da pista. Por hora, fico contente em conseguir acompanhar a Léia, sem fazer com que ela diminua sua velocidade por conta da minha falta de habilidade. Por hora, fico contente em chegar lá e zerar uma pista de iniciante.
Outra coisa do Shaping: Ensaie sucesso. Tenha uma taxa alta de sucesso para evitar a frustração, e isso só acontece quando esse sucesso é algo que você consegue fazer. Mas se você tiver 100% de sucesso, hora de aumentar o critério ;)

Uma coisa é certa: Nunca vou basear o meu sucesso como dependente dos outros e nem como dependente de coisas que eu não posso controlar. Zerar pista é uma dessas coisas porque pode ser que chegando lá tenha algum exercicio que eu nunca treinei com a Léia. Pode ser que chegando lá a gente faça uma pista toda correta, mas ela derrube uma barra. São coisas que eu não posso considerar controláveis por não ter treinado.
Ir bem numa pista é chegar lá e conseguir tudo que você treinou com seu cão. Se você treinou 2on2off deligentemente e na prova seu cão fez todos os contatos, apesar de ter derrubado algumas barras, vocês, ao meu ver, foram bem sucedidos.

Eu penso assim.

Nunca vão me ver na beira da pista torcendo para que outra dupla cometa faltas para que eu chegue ao pódio. Jamais.

É chegar lá e fazer o melhor que você pode fazer. Se medir apenas em comparação aos outros, e não em comparação ao melhor que você pode ser, é ser medíocre.

A minha competição é comigo mesma, e já é mais que suficiente.

*Foto de Daniel Neves, da 7a. etapa do Campeonato Carioca. Achei linda :P

sexta-feira, 19 de junho de 2009

De volta a blogosfera!

Depois de um loooongo tempo off de tudo, estou de volta!

E animada!

Olhando o calendário de agility do semestre que vem, acho, se tudo der certo, que vou estrear a Léia em agosto!
Queria ir no fim de agosto, mas, é claro, que murphy me ama, e vai ter expo aqui em brasília no mesmo fim de semana, e eu queria levar o Renê nessa expo.
Então, se tudo der certo, dia 08/08 será o dia.

SE

Então, tendo pouco tempo até lá resolvi direcionar um pouco mais nossos treinos. Começando no iniciante Slalom não é um problema, nem mesa, nem gangora, nem rampa. Ironicamente, tudo que temos treinado de uns meses pra cá.
O BIG problem, como eu sempre digo, e ninguem me leva muito a sério, sou eu.
Passarela, apesar de termos começado a treinar só agora (E que vontade eu tive de ensinar isso com zona corrida xD), um mês pra lapidar é suficiente.

Então, de volta, alguns vídeos!

Primeiro, a gangora. Léia ainda tinha um pouco de medo do baque e subia devagar, um pouquinho de bang games e pronto, ficou uma graça.



No final ela já tava cansada, mas as duas primeiras ficaram lindas.

Fato engraçado sobre esse dia: Era um evento em uma feira agropecuária, chegamos cedo e tals, tentando fazer a léia relaxar um pouco (Já comentei que ela tem medo de cavalos?), perto do local aonde a gente montou a pista tinha um poça d'água NOJENTA, tinha uma coisa estranha no fundo e tals. Tava um calorzin até, então a Léia se aproxima da água, tudo bem, eu penso, ela só vai beber. Não é que a coisa resolve que quer ser esfregar na coisa que tem no fundo?!?!? Deu um murgulho de ponta que nem uma louca e ficou toda alegre xD
Depois disso não tinha muito o que fazer, e apesar dela ter ficado suja e molhada, eu deixei ela se divertir lá.
O resultado:



Nesse dia também foi legal pq deu para treinar o Peper, um BC que eu treinava quando tava trabalhando com o Pablo nas férias. Ele é lindo e o dono dele que fique dando mole, vou roubá-lo.
xD

Ainda treinando o 2x2 com a léia e com o renê, se eu tivesse a disciplina de treinar todos os dias, ao invés de eventualmente, já teria terminado. O problema agora é que meu super slalom improvisado de PVC não tem aguentado a Léia. Ainda vendo o que faço sobre isso. Entao parei na Léia com 6 estacas, renê ainda não tá fazendo a coisa reta, mas já corre pra entrada mesmo comigo longe e em velocidade. Quero ver esse baixinho no agility.
Vamo ver se a disciplina volta e eu termino de ensinar isso pro Renê.

Por enquanto é isso! Mais videos logo logo :P

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Post rápido

Meio sumida, eu sei, eu sei...

Darei um jeito nisso logo xD

As novidades: Treinando sequências com a Léia, condução, trajetória, essas coisas, alem de retreinando o slalon dela com 2x2, adorando!

Uns vídeos que fiz do treino de 2x2, ainda não terminei de ensinar.





Final de semana passado finalmente consegui treinar a gangora dela da maneira que queria, agora sim tá de uma forma que me agrada, agora sim ela perdeu toda a noção de medo da coisa, até voar dela antes dela bater no chão ela já fez xD

Quanto ao Renê, ele tem melhorado bastante, mas ainda falta muito. Tenho treinado saltos e slalon também pelo 2x2, tão espertinho ele.
Mas tenho mais feito treino de fundamento e groundwork, por conta da aversão que ele tem em andar no meu lado direito, principalmente quando tá de guia. Chega a ser engraçado, ele faz uma cara de "MEU DEUS ALGO ESTÁ ERRADO!" O.O e tenta de todas as formas chegar na minha esquerda, hahahaha.

Esse final de semana, curso do Dante.
Alguem mais vai? :p

Beijoss

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Controle aversivo

O tema dessa semana nas aulas de aprendizagem foi controle aversivo do comportamento, ou seja, controle por Reforço Negativo e por Punições, e algumas coisas interessantes foram levantadas na aula.

Primeiro, algumas definições:

Reforço Positivo: Reforço é sempre uma consequência de um comportamento que resulta no aumento de sua probabilidade de ocorrência. No caso do Reforço positivo, esse aumento na probabilidade de ocorrência do comportamento ocorre divido a adição de um estímulo reforçador. Exemplo clássico é quando damos um petisco a um cachorro apos ele executar um comando.

Reforço Negativo: O reforço negativo também é uma conseqüência do comportamento que resulta em um aumento da sua probabilidade de ocorrência, só que dessa vez esse aumento decore da retirada de um estímulo aversivo. Por exemplo, um cão sendo ensinado a sentar pelo método tradicional (medieval), tem o enforcador puxado para cima e sua garupa pressionada para baixo. Ao sentar, ambas as pressões são aliviadas, então o cão aprende que sentando ele evita esses estímulos aversivos. Isso é reforço negativo.

Punição Positiva: Toda punição gera uma diminuição da probabilidade de ocorrência de um comportamento. No caso da punição positiva, isso ocorre devido à adição de um estimulo aversivo ao meio. Por exemplo, ao borrifar água no focinho de um cachorro quando ele late, você está aplicando uma punição positiva.

Punição Negativa: Também é um processo que diminui a probabilidade de ocorrência de um comportamento, mas dessa vez isso decore da retirada de um estímulo reforçador. Por exemplo, se você tem um cão que é super protetor ao dono, toda vez que esse cão late ou rosna para alguma pessoa, ele é retirado do ambiente, ficando privado da presença do dono.

Uma coisa interessante que foi levantada nas nossas aulas foram os efeitos colaterais do controle aversivo do comportamento (Ou seja, da utilização de Punições e de Reforço Negativo).
Alguns efeitos colaterais relevantes para o caso de cães:

1. Eliciaçao de respostas emocionais
Esse é o mais importante. O uso de aversivo, como trancos, tapas, sustos, pode gerar respostas emocionais de medo ou angústia no cachorro. Duas conseqüências importantes dessa resposta emocional: O cão não consegue responder de forma adequada ao estímulo aversivo, então ele acaba não aprendendo. Ou seja, clássico caso do cão que fica com tanto medo que fica paralisado. Segundo, o agente punidor (No nosso caso, o treinador) passa a eliciar respostas emocionais semelhantes às geradas pelo estímulo aversivo. Ou seja, o cão começa a ter medo do treinador.

2. Ocorrência de contracontrole
Contracontrole é uma forma do agente controlado (o cão) evitar o controle do agente controlador (treinador), ou seja, evitar o estímulo aversivo sem realizar a ação pretendida pelo agente controlador. Em outras palavras, para nosso interesse, o cão pode te morder ou fugir.
Nada bom.

3. Supressão de outros comportamentos alem do punido
Muito relevante para mim, que gosto dos meus cachorros espertos, alegres, vivos e interacionistas com o ambiente. Punição é inibitório. Comportamentos que ocorreram temporalmente próximos ao comportamento punido podem ter sua probabilidade de ocorrência diminuída devido a punição. Vamos supor que em um treino de agility você puna sem cão por não parar na zona de contato ao final da passarela. Ótimo, mas você também pode estar afetando tudo que ele fez antes, inclusive passar correndo que nem um jato na mesma, escolher ela ao túnel que estava do lado ou aquela curva fechada lindíssima que ele fez para chegar nela.

Agora, a parte mais interessante da aula, que é aonde quero chegar é por que diabos, afinal, utilizamos tanta controle aversivo?

Um dos motivos relevantes para nós, treinadores, é que a utilização de estímulos aversivos não depende de privação. Para que um cachorro se interesse por um petisco ele tem que estar com fome, para que ele se interesse por um brinquedo ele não pode ter contato com esse brinquedo sempre que bem entender. Um tranco, tapa ou borrifo de água sempre terá efeito aversivo, não importa se o cão está com fome ou não.

Mas um das explicações mais relevantes que vi na aula é que utilizar punição é recompensador para o agente punidor.

Sim.

Seu cachorro está latindo, certo? Você não gosta de latidos de cachorro, logo o latido dele é um estímulo aversivo para você. Você joga água na cara dele, e ele para de latir! O que acontece em relação ao seu comportamento de borrifar água na cara dele? Esse comportamento foi Reforçado negativamente, pois ocorreu a retirada de um estímulo aversivo, logo a probabilidade da ocorrência desse comportamento aumenta.
Isso é lindo.

Até mesmo quando estamos ensinando somos meras vítimas das leis da aprendizagem.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Muito bom

Frase que vi ontem na camiseta de uma pedinte no sinal:

"Sozinha com certeza irei mais rápido, mas em conjunto iremos mais longe."

Americas & Caribes 2009

Bom, infelizmente...
INFELIZMENTE...
Não poderei ir assistir o Americas e Caribe :((((

Então deixo aqui meus desejos de boa prova e boa sorte para todas as duplas participantes \o//

Estarei acompanhando tudo pela net e torcendo pelo Brasil.
Sei que o pessoal todo se esforçou bastante e que será um evento muito bacana, parabéns a todos da organização :))

VAI BRASIL!! \o///

sábado, 11 de abril de 2009

Agility DF

Nóticias ótimas par o Agility do Distrito Federal!

Hoje fui ao Centro de Treinamento e Desenvolvimento do Cão Pastor Alemão (CTD) e tive uma conversa com seu atual presidente, o Anibal.
O CTD está organizando de abrir um espaço para o Agility lá, trazer o Dan para cá para fazer um curso e colocar Brasília no calendário da CBA até o ano que vem!
O Anibal me pareceu muito competente, já organizando com a CBA e com a CBKC tudo que precisa organizar, e eu me ofereci logo para ajudar. Então, aparentemente, minha função agora é divulgar a iniciativa e cuidar da comunidade que criei, concidentemente, alguns dias antes de ficar sabendo disso, no orkut.

O espaço lá no CTD é muito bom e tem tudo para dar certo! No que depender de mim, vai dar mais que certo, e tenho certeza que muitas outras pessoas estão dispostas a ajudar nisso também.

Então, pessoal que pratica, gosta ou tem curiosidade sobre o Agility no DF, entrem na comunidade do orkut que por meio dela vamos divulgar as informações sobre cursos, encontros, eventos e provas. Lá também encontram o telefone do Anibal, podem ligar para ele para saber mais sobre o que ele quer fazer e ir conhecer o CTD, ele é bastante atencioso e simpático :)

Agora, só mãos à obras! Isso é um projeto de todos e todos estão iniciando, vamos aos poucos ir contruindo o agility aqui em Brasília, com o apoio e liderança certa, tem tudo para dar certo :)
(Já comentei que estou empolgada? xD)

Mais informações sobre o Agility AQUI

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Woot!

Ontem capotei as 20hrs da noite com os cachorros todos trancados dentro do meu quarto.

Hoje de manha quando acordei estava esperando surpresas pelo quarto, mas não a que me veio! Renê, pela primeira vez, assim que abri a porta saiu correndo voado para o jornal e fez o xixi dele lá!!! E foi um xixizão! o.O

Agora vou sair para caminhar com ele :)

terça-feira, 31 de março de 2009

Obrigada pelo contato!

Seu formulário foi enviado com sucesso!
Em breve retornaremos com uma resposta.






Atenciosamente,
Adestramento 2 patas 4 patas

segunda-feira, 30 de março de 2009

Correntinha

Recebi da Fê Lesnau (Obrigaaada ^^) um questionáriozinho, enton, respondendo:

*Falar 6 coisas deliciosas na vida;

(Não necessáriamente em ordem)

1. Cachorros, óbvio. Qualquer um, mas em especial os meus, por tudo que têm me ensinado, por sempre me alegrarem, por simplesmente serem as criatura alegres, nobres e puras que são.

2. Amigos, que também alegram meus dias, me ajudam mtas vezes nem mesmo perceber. Seja eles perto ou longe, amizades novas ou antigas, sempre com muito a me ensinar e me fascinam de um tanto. Amo a todos.

3. Aprender, de todos meus músculos, o cérebro é o único que me dá tristeza de ver atrofiando. Ler, conhecer, saber, discutir, descobrir coisas novas, não tem coisa melhor. Com a internet aqui, ficou muito fácil adquirir conhecimento. Basta querer e saber procurar :)

4. Música. Todo dia de manhã, a primeira coisa que faço é ligar o Winamp. Música é combustível, tanto quanto ar, mas tem que ser música com sentimentos, aquelas que te dá os arrepios quando vocês escuta...

5. Agility, primeiro esporte que realmente gostei, a grande dança entre cão e dono :)

6. Brasília, porque quem não mora aqui, quem não cresceu aqui, não entende. Brasília é linda, céu maravilhoso, verde para todos os lados, calma e tranquila. Simplesmente adoro andar de madrugada pelas quadras, vendo a noite, as rodinhas de violão, as pessoas nos parquinhos fazendo o que quer que seja, o eixão vazio, dando para o horizonte. A luz do sol ao nascer ou se por no lago paranóa... Cada canto cheio de história, principalmente história musical.

* Escrever uma frase, citar um título ou contar uma historinha sobre 6 assuntos nos seguintes segmentos: vida, cinema, literatura, viagem, amor e sexo;

Vida: "And I find it kind of funny, find it kind of sad, the dreams in which I'm dying are the best I've ever had"
Pule sem pensar :)

Cinema: Gosto, alguns filmes são que nem musica, trazem os arrepios...

Literatura: Ultimamente tenho lido só livros de adestramento, confesso que ainda estou na minha depressão pós fim de Harry Potter...
xD

Viagem: Acho que sou uma das poucas pessoas que não se interessa muito por isso... quem sabe isso ainda não mude, certo?

Amor: Coisa que sinto muito facilmente, seja por amigos, por meus cães, minha familia ou amor de paixão...
"Love, love is a verb
Love is a doing word
Fearless on my breath
Gentle impulsion
Shakes me makes me lighter
Fearless on my breath"


Sexo: "O sexo é bom, amor melhor, os dois então perfeito!" ;)

* Convidar 6 colegas de blogs que você realmente considere feminino e inteligente;* Postar as regras para que os outros as repassem;

Virge... Não sei se tenho 6 pessoas para passar isso...

- A realidade, Maria, é louca
- Fotolog da Iaia

e acho que é só =x

* Inserir o selinho que você recebeu do Papo Calcinha.

Twitter

Até que é divertido xD

http://twitter.com/_Lady_Violet

:)

domingo, 29 de março de 2009

Exposição

Esse final de semana, foi de expo.
Adoro exposição e acho que sou meio doida por isso. Ninguem mais vê graça em ver cachorro dando voltinha.
Mas eu adoro, adoro ficar vendo e tentando avaliar, com meu conhecimento precário e em construção, a estrutura dos cachorros.
Adoro, também, ver que não estou sozinha no mundo e que tem tanta gente tão louca ou mais por cachorro quanto eu sou.

Uma das poucas coisas me incomodam nas expos, mas não é uma coisa exclusiva de exposição não, é gente reclamona.
O juiz foi sempre comprado para aqueles que perdem. Acho engraçado.

Nessa expo tinha um proprietária com um cão, e o cachorro dela tava perdendo em todas as pistas. Ela reclamou que não valia a pena levar seu cachorro para a expo, porque o cachorro dela era muito mais bonito do que os outros e tava perdendo, provavelmente porque já tava tudo combinado.
Bom, o cachorro dela tinha algumas coisas bonitas, tinha uma bela cabeça, isso é fato, e um dorso bacana. Mas tava encardido, sem trimming e gromming, tinha pouco peito (As pernas da frente era praticamente coladas uma na outra) e tinha o que eu chamo de perninhas de Chow-chow (Nada contra os chows...): Pouquíssima angulação nos posteriores.
Mas para a dona, o cachorro era o mais bonito do mundo. Claro.

Sei lá, eu vejo muita gente reclamar que cachorro só ganha expo se estiver co handler famoso. O que eu vejo é um bando de gente usando isso como desculpa para não querer enxergar as faltas do seu cão. Isso é se enganar.

Muito ego, pouca humildade.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Renê - 1a. semana

Essa semana treinei com ele apenas o salto e junto do lado direito.
Renê veio para mim já com o título de campeão e campeão pan-americano de beleza, então ele não sabe andar na minha direita. Constantemente ele muda de lado por tras de mim quando tá andando na direita, faz aquela cara de "opps, lado errado" e vai todo feliz para a esquerda.
Isso é um problema.
Quanto aos saltos, consegui ontem chegar a marca de 20cm e ia ficar nela por enquanto, mas já no finalzinho da sessão ele deu um salto errado, caiu de barriga em cima da vara, derrubou tudo, fez um barrulhão e ficou com medo.
Tive que re-começar do zero, mas hoje já estava nos 15cm de novo

Outra coisa que é um problema sério: Renê fica muito louco perto de outros cães. Ele fica histérico.
Ele brinca com a Léia e não implica com a Bela, mas fica completamente tenso, alerta e eufórico perto de cães desconhecidos. O que tenho feito por enquanto é me afastar até uma distância que ele fique calmo e dar petiscos quando ele relaxa e último sábado na casa do Pablo fiz muito isso até que conseguimos ficar a uns 5 passos de outros cães com ele sentando e fazendo contato visual comigo.
Vamos ver, vamos ver.
O chato disso é que as pessoas pensam que ele é o diábo da tasmânia, quando simplesmente o cachorro tá ansioso com a situação. Já recebi diversos conselhos de colegas adestradores para punir o comportamento dele. Felizmente, a Léia já me ensinou que isso não funciona. Adestrador é uma coisa, Comportamentalista é outro né?
Mas tenho fé que as coisas vão ir se ajustando com o meu baixinho. Nada como um cachorro dificil para te ensinar uma gama de coisas novas.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Hoje eu aprendi...

Que ensinar o junto para um cachorro com 27cm de cernelha faz doer as costas.
-.-

segunda-feira, 23 de março de 2009

Treino 21-03

Pequeno vídeo do nosso treino de sábado:



Léia tava mais devagar no slalon do que de costume, não sei se era por conta do cansaço, ficou brincando com os outros cachorro enquanto a gente arrumava os obstáculos.
Notem no primeiro vídeo a participação especial de uma borderzinha muito louca, a Gigi. Era a primeira aula dela e ela tava doida pastoreando tudo que corria (Isso é, a Léia, uma Australian cattle dog, uma outra border e uma dobbermanzinha xD).

Aumentando aos poucos a altura do salto do Renê, quero fazer com ele beeem gradual como foi com a Léia. A léia foi treinada tão gradualmente que ela nunca passou debaixo de uma barra de salto, não importa se ela tá correndo comigo ou correndo brincando com outros cachorros. Sempre que ela passa pelo salto, ela passa por cima.
Começei a observar a mesma coisa com os contados dela esse final de semana. No final do treino deixei ela brincando com os outros cachorros e volta e meia todo mundo subia na rampa. A Léia, sempre que não tinha ninguem perseguindo ela, parava na sua posição de 2on2off, levando as vezes até umas trombadas de outros cachorros.

Uma coisas que fiquei feliz nesse treino foi que, apesar dela estar mais devagar no slalon, já não tava errando entradas como antes. A gente tem treinado bastante isso e tinha horas que eu podia jurar que ela ia entrar na segunda ou terceira casa do slalon e ela me surpreendia.

Foi um treino divertido, semana que vem vai ter exposição então não vai ter treino.
Enquanto isso vou continuar treinando a entrada dela no slalon e mais algumas coisinhas que quero experimentar.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Enfim, agility

Depois de muito enrolar, resolvi finalmente começar logo o treino do Renê.
Iniciando com o clássico, o salto. :)



Tenho treinado algumas coisas de fundamento com ele, como fiz com a Léia, primeiro construindo drive e depois alguns para controlá-lo. Ele tem bem menos auto-controle do que ela tinha no início.

Consegui fazer a Léia se interessar por cabo de guerra, finalmente. Depois coloco um vídeo disso tbm :)

Amanha tem treino na casa do Pablo, vai ser bom :)

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Skinny

Desde de criança, eu sempre tive problemas com achar gatinhos na rua e levá-los para casa.
Quando eu era criança, eu era alérgica a pêlo de gato, então não podia ter nenhum por mais que eu quissese. Mas meu espírito protetor sempre falava mais alto quando eu encontrava uma pobre alma na rua. Lembro de um gato preto e branco que levei para casa uma vez, mas minha mãe logo doou ele, lembro também de uma gatinha de 3 cores que achei na hípica aonde eu fazia equitação a muuuito tempo atras, que logo foi doada para uma prima minha.
Teve uma outra vez que achei um bem pequeno, pretinho, que acredito ter sido atropelado. Eu estava no ponto de onibûs, indo para a escola, divagando, quando vi um coisa preta no asfalto a alguns metros de mim. De repente, a coisa se moveu, e eu sai correndo, me dando conta do que era. Infelizmente essa gatinha não sobreviveu, não deu tempo nem de levá-la ao veterinário.

Os dois gatos mais recentes que entraram na minha casa foram o Gato (Sim, esse era seu nome) e o Skinny. O Gato achei ele um pouco velho já e ele era muito levado, era saudável e é o motivo por qual a Bela não gosta de gatos. Comia a comida dela na maior cara dura (Na época a Bela tinha comida a vontade) e quando ela reclamava com ele, ele reclamava de volta. Nós não demos nome para ele pois minha mãe não queria nem saber dele, já dando um prazo para ser doado assim que cheguei em casa dizendo: "Maaaaee, olha o que eu achei!" (Com certeza, essa é a frase que ela menos gosta de ouvir). Como acontecera com todos os outros, eu tive uma crise alérgica no primeiro dia do Gato aqui em casa, mas depois elas pararam, diferentemente do que aconteceu com os outros. Então o Gato foi ficando. Minha mãe gostava dele, quando eu chegava ela contava as coisas engraçadas e bonitinhas que ele tinha feito e tals, rindo. A gente ia ficar com ele. Mas... Descobrimos que meu irmão, que até então estava viajando, também era alérgico a pêlo de gato, e as crises dele eram piores do que a minha. Então, no mesmo dia que ele chegou de viagem, o Gato se foi. Pagamos as vacinas dele e o deixamos em uma clínica veterinária para ser adotado.
O Gato, tentando pegar meu cabelo

Agora o Skinny...
Um bele dia, ano passado, estou eu chegando da rua, estaciono o carro e quando vou pegar algumas coisas no porta-malas escuto um miado. Olho para o lado e vem uma coisa, magrela, rebolante e miante na minha direção. Não tinha como ignorar.
O Skinny chegou aqui muito muito muito magro. Estava cheio de pulgas também, então a primeira coisa que fiz foi dar um banho e tirar todas a mão. Não foi muito díficil, o pêlo dele era ralo e como ele tava fraco não lutou muito contra o banho, apesar de não ter gostado.
Achei ele em um domingo, ele estava tão magro fiquei com medo dele não resistir até o dia em que teria tempo de leva-lo ao vet, comprei comida em lata para gatos que ele comeu com muita satisfação e depois foi durmir. No dia seguinte, tudo que ele fazia era comer, durmir e tomar banho de sol junto com a Léia. A Bela não queria nem saber dele, mas a Léia o via como um novo brinquedo, e ficava o tempo todo chamando ele pra brincar, colocando a cabeça dele na boca, e ficava muito injuriada quando eu falava para ela parar.
O skinny ficava na maior parte do tempo só no meu quarto, por causa do meu irmão, mas com o tempo meu irmão ia se aventurando a tocar nele cada vez mais, e não teve nem uma crisezinha alérgica dessa vez.

Antes


Na terça consegui levar ele ao vet, onde ele foi diagnoticado como infestado de vermes, tomou vermifugo, antibiótico e o veterinário receitou alguns medicamentos, inclusive aconselhou que eu vermifugase as duas cachorras aqui em casa. O veterinário que o atendeu foi muito legal comigo e nos ajudou muito. Comprei um saco de ração para ele (Como ração de gato é cara D:) e agora era só esperar.
A medida que ele ia melhorando, ele ia começando a se comportar mais como um gatinho. Começou a perseguir cordões, escalar coisas, brincar com a Léia, derrubar coisas das estantes, perseguir bolinhas. Quando deu 3 semanas que eles estava aqui, a sua ração acabou e eu resolvi começar alimentação natural com ele. Ele adorava e comia tudo com muito gosto, inclusive era só dar mole que ele estava em cima da pia roendo os saquinhos com as carnes descongelando (Perdi muitos ziplocs por conta dele xD). E, é claro, que treinei ele com o clicker. Ensinei ele a sentar e a tocar um target com o focinho.
Eu adorava ele, era carinhoso e ao mesmo tempo sapeca. Aparava as unhas dele para evitar que ele afiasse as unhas nos móveis ou machucasse a Léia em suas brincadeiras violentas.
Mas eu sabia que não poderia ficar com ele, pois logo logo o Renê estaria chegando aqui em casa e 3 cachorros e um gato é demais para um apartamento.
O Skinny e a Léia eram parceiros do crime. Ele subia nas estantes, derrubava as coisas, como bichos de pelúcia, brinquedos, pacotes de comida, e a Léia os detruia xD
Uma vez ele derrubou um pote de vidro aonde fica a comida dos meus Gerbils, eu estava na hora e ele fez uma cara de "olha o que eu fiz!", todo orgulhoso, enquanto olhava o pote de vidro espatifado no chão, enquanto a Léia e a Bela comia o mais rápido possivel.

Durante


Aos poucos ele foi ficando cada vez melhor e mais bonito, era uma caixinha ronronante muito adorável. E eu tentava, sem sucesso, achar alguem que ficasse com ele. Fui bastante exigente com que deveria ficar com ele, dispensando pessoas que não viam problema em gatos andarem soltos na rua porque "Gato esperto não morre atropelado e nem é envenenado".
No final das contas, tive que fazer que nem fiz com o Gato, deixei ele na clínica do veterinário, como ele estava ficando grande (tinha por volta dos 5-6 meses nessa época), resolvi deixar ele logo pois é muito mais dificil um gato adulto ser doado. Paguei suas vacinas e o veterinário me assegurou que ele ia ser doado logo, pois estava bonito e vacinado.
Dois dias depois ele já tinha sido doado.

Depois


Sinto, ainda, uma falta terrivel dele e o próximo gato que adotar das ruas vai ficar comigo e eu não quero nem saber xD

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Zona corrida

Então, para todos que estão ensinando zona corrida para seus cães, ae está uma tecnica que pode te ajudar.



Nova ferramenta de treino, acompanhado o clicker, bolinha, salsinha e targets. xD

Trágico evento

Ajudando a divulgar:

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Treino 06-02

Finalmente editei o vídeo. Fiz umas duas sequências com a Léia, coisa simples. A partir de agora vou começar a treinar pedaços de pista de iniciante e ver como que a gente se sai.

Quem consegue achar no vídeo as duas vezes em que EU pulei o salto? xDDD
Já derrubei mto equipamento de agility nessa minha vida e até hoje sou zuada por um dos nosso treinadores porque a primeira vez que ele montou uma sequencia pra gente a primeira coisa que eu fiz foi trombar num salto xD

Tem também no vídeo o nosso intervalo em que eu treinei um pouquinho de truques com a Léia.




Eu quero:
1. Retreinar o Slalom dela. Ela erra muito entrada, entrando na segunda casinha e tals.
2. Treinar só saltos em linha reta com ela.


Sábado passado fomos treinar, finalmente, na pista de agility do Pablo. Fizemos uma pequena sequência com Pneu, tunel, slalom e rampa e foi muito bom, tanto a Léia quanto a cachorrinha da minha amiga Tháis, uma Australian Cattle dog muito doida chamada Artemis, fizeram tudo direitinho. A Artemis é uma cachorrinha muito muito muito rápida, mas muito dificil de controlar, ela passa pelo slalom e pelo tunel feito uma bala, é uma graça.
Infelizmente, sem vídeos desse dia.

Agora, com o Renê, tem tanta coisa pra treinar com ele que eu até fico zonza, mas começei a ensinar ele a saltar por dentro de um bambolê (começo do treino de Pneu) e começei a ensinar o Zen pra ele, pro desafio tudo de cão.
Vamos ver se a gente consegue fazer dessa vez =P

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Eliminações

Uma coisa que não concordo que acontece no Agility nacional, apesar de ser completamente iniciante no esporte, é o fato de que quando uma dupla é eliminada por fazer um obstáculo fora de ordem, ela tem que sair da pista.

Vamos olhar isso do ponto de vista da aprendizagem.
Se o cachorro de vocês tem metade do interesse que a Léia tem pelo agility, já é muito. Fazer agility pra ela é a melhor coisa do mundo, quer deixar a Léia louca? Diga: "Vamos brincar" que é o nosso código para vamos fazer agility.
O agility, para muitos cachorros, é recompensante por si só. Isso acontece porque, se treinado direito, você trasnfere o valor da recompensa (Petisco, brinquedo, etc...) para o equipamento de agilty, então o cachorro vê um túnel, ele não vê um túnel, ele vê uma grande opotunidade de fazer algo que vai le render uma salsicha ou um jogo de cabo de guerra.

Então, voltando ao tópico principal que é a obrigatoriedade de sair da pista quando você é eliminado.
O seu cachorro só erra em duas situações:

1. Falta de treino
Seu cachorro não entende ainda o seus sistema de condução, sua linguagem corporal, o comando utilizado. Muito provavelmente por falta de generalização, ou seja, treinar em vários lugares diferentes ou com diferentes distrações. Tá certo que o seu cachorro sabe fazer o Slalon, mas se tiver um túnel do lado, e ele for um daqueles cachorros maniácos por túnel, e você gritar "slalon!!" será que ele vai fazer o slalon mesmo?
Já vi muita gente dizendo que o cachorro vai pro obstáculo errado "pra me sacanerar, ele tá de onda porque ele sabe o que significa slalon"
Será mesmo?
Será que o simples fato dele escolher o tunel ao slalon não diz muito sobre o quando o cachorro sabe?
Temos sempre que manter em mente que cachorros são cachorros. Eles não fazem nada para zuar o dono pois não ganham nada com isso. Eles fazem o que aprenderam ou não e pronto.

2. Comando errado
Outra situação que vejo muito em vídeos que fazem o cachorro ir para o obstáculo errado é erro por parte do condutor. As vezes um pequeno desvio dos seus ombros, um movimento, um posicionamento errado ou até mesmo um olhar é suficiente para mudar a direção do cachorro.
Acontece muito e vou até colocar um vídeo para exemplificar:



No vídeo a condutora erra o primeiro front cross dela e ao tentar corrigir faz o cachorro errar todos os outros obstáculos seguintes. É um vídeo lindo.

Para grande maioria dos cachorros, e eu espero que seja assim com todos os cães que praticam aAgility, parar de fazer o agility é uma punição. Quando estou treinando sequências com a Léia e ela sai do Fica sem o comando, eu paro de correr com ela e fico um tempo assim. Isso é uma punição para ela, pois ela adora fazer agility.

Agora, quão justo é com o seu cachorro você punir ele em uma prova ou porque ele não entende o que tem que fazer ou porque ele fez exatamente o que você mandou?
Você corre o risco de frustrar seu cachorro, deixá-lo estressado ou de simplesmente ensinar para ele ignorar sua linguagem corporal, tendo um cachorro inconsistente devido a sua própria inconsitência.

Não é bom pro treino do cachorro, não é bom pra relação cão-condutor.

Me irrito quando vejo vídeos do mundial em que alguem é eliminado mas continua fazendo a pista e todo mundo começa a bater palmas, botando pressão para a pessoa sair de pista.

Temos que lembrar sempre que agility não é só sobre ganhar ou perder, não é só sobre as curvas abertas e contatos pulados, é sobre ter uma relação saudável com seu cão, sobre se divertir e aprender.

Terminar a pista, ao meu ver, é um direito de cada pessoa inscrita em uma prova e uma obrigação do condutor para com o cão.