quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Agility Brasileiro, um esporte para todos?

Esse final de ano foi especialmente legal para nós aqui de Brasília, pois tivemos o prazer de receber o Dante, que ficou conosco durante uma semana inteira, dando aulas, treinando a gente e, tão importante quanto, batendo papo.

Em um desses papos não poderia deixar de ser sobre as diferenças entre o Agility daqui e o agility canadense. E é claro que começou com a gente falando sobre a quantidade de categorias de altura, que a FCI, que infelizmente seguimos a risca, tem a atitude pré-histórica de se manter com apenas 3.

O Dante explicou que nos estados Unidos e Canadá, eles tem o esquema de "prefered class", onde o dono pode por optar por colocar um cachorro para competir em uma categoria de altura abaixo da oficial. Esses cães competem somente entre outros cães dessa categoria, nunca com os cães da categoria oficial.
Dessa forma, um cachorro que tenha o tipo físico mais pesado, como alguns goldens, pode saltar uma altura que é mais justa para com a sua saúde, assim como um cachorro que acabou de se recuperar de alguma lesão física pode competir primeiro em uma altura mais baixa pra só depois, quando estiver completamente recuperado sua capacidade física, voltar a competir na sua categoria normal.
Ele também explicou que lá os cães standards saltam 22" (55cm) e apenas por opção do dono que os cães standards passam a competir na categoria de 26" (65cm), que é a altura do standards da FCI. O Dante comentou que lá a categoria mais competitiva é a de 22", pois os cães possuem bem mais velocidade saltando mais baixo.
Outra coisa interessante que ele disse que acontece são as chamadas double drop, um cachoro, por exemplo, um BC, que seja muito pequeno pode competir na prefered class sua vida inteira, saltando mais baixo, e quando esse cachorro atinge a idade de veterano, ele pode baixar ainda mais uma categoria de altura, então esse BC pode competir numa altura mini e curtir a sua velhice fazendo agility de forma saudável e segura.

Com tantas opções para tornar o Agility não só mais seguro como mais abrangente, vejo como ainda estamos atrás nesse requisito. O Agility brasileiro é para todos? Ao meu ver, não. Ele é para o border collie, para o pastor de shetland e finito. Tanto é verdade que aqui somos doutrinados a ter um border se não não podemos ser competitivos. É doutrinação, sim. E é claro que é verdade. Não falo nem de uma questão de competitividade, chega de falar de resultado, de tempo, de cachorro curto. Vamos falar do agility como um todo e o fato é que o nosso agility faz propaganda enganosa. Não, ele não é um esporte para todos. O cachorro muito pequeno pra sua categoria ou aquele com um tipo físico diferente tem uma grande desvantagem até em questão de saúde e de durabilidade desse cachorro no esporte. Como pode um westie ou Shih Tzu praticar 10 anos de agility, saltando 35cm, sem que haja prejuízo para sua saúde, para sua coluna, seu cotovelos e seus ombros?

Precisamos acordar para a real perna bamba do nosso agility, que não é termos cães lentos, ou zonas ruins, ou condução segura mas não ousada, mas sim a questão de negligenciarmos por completo essa grande parcelas de cães e donos dispostos a fazer agility, mais impossibilitados por um regulamento que os prejudica.
Podemos ser passivos e esperar que a FCI mude, mesmo tendo a total liberdade de ajustar o nosso regulamento para a nossa realidade. E eu não creio que a FCI irá mudar tão cedo. Com a unica excessão da inclusão do pneu desmontável, todas as mudanças de regulamento feitas por ela no ultimo ano foram técninas e visando o mundial, nenhuma delas tendo em vista a expansão e abrangência do agility.

Assim como a CBA pode optar por ser passiva em relação a esse tema, e esperar mudança primeiro da FCI, toda escola, todo match, toda prova não oficial também pode ser.

Nós da AgilityDF, tendo em vista nossa visão de que o Agility é uma brincadeira, que deve ser divertida, saudável e segura para todos os cães, adotaremos a partir de hoje, em treinos, matches e provinhas da nossa escola, o modelo de 5 categorias de altura, apenas treinando em altura oficial os donos que desejem competir pela CBA.


Essa é nossa resolução de ano novo e nosso presente de natal aos nossos queridos alunos: Um agility realmente para todos.

domingo, 6 de novembro de 2011

Estréias AgilityDF

Bom, post mega atrasado, mas enfim!

No começo do ano participamos de uma etapa dupla do campeonato Paulista, e duas duplas do AgilityDF fizeram sua estréia oficial, eu com o Renê e a Thaís com a Ártemis!

Infelizmente não tenho vídeos do Renê, mas foi bacana! Eu achei que ele sentiu um pouco o ambiente diferente e foi beeem lento. No sábado eliminamos as duas pistas, a primeira porque ele fez banking no muro, eu vi e OBVIO que não ia voltar. Eu tinha me esquecido do muro, então ele nunca tinha feito e o grande problema da vida do Renê é a altura dos saltos. O muro, com as telhas, fica bem mais alto que os saltos, então era mais do que esperando que ele ou não fizesse ou fizesse falta, e eu tinha planos de ignorar.
Eis que depois que elimino o juíz vem me dizer que não posso terminar a pista! ORAS! Aqui fica uma reclamação: façam sempre iniciantes no começo da prova, por favor! Toda a função do iniciantes é acostumar cães como ele ao ambiente de provas, e cães como ele geralmente eliminam na primeira prova. Se for pra inciantes não poder terminar a pista, transforma logo em grau 0, admite que é apenas competição e pronto.
Fiquei indignada. Na segunda pista de sábado, eliminamos também por refugos no túnel, que eu, muito esperta, quis fazer rear cross no túnel. O Renê ODEIA pressão corporal no agility, rear cross pra ele é um pesadelo. Então ele não entrou no túnel.
Já no domingo, fomos bem melhor! Parte da melhora foi que após a prova acabar, eu treinei com o Renê nos obstáculos que ficaram em pista, e ele desencanou um pouco. Fez as duas pistas bonitinha no domingo, saltou o muro, mas fez tudo andando. Tirando isso, foi bem legal e ficamos em terceiro lugar :)

Já a Tháis com a Ártemis, tiveram uma estréia DIGNA! O grande problema da vida da ártemis são os obstáculos de contato: Parar no meio da pista é muita contenção para ela, e fazer zona corrida é fora de cogitação, pois a Ártemis é muuuuito mais rápida que a Tháis. Então trabalhamos bem o 2 on 2 off dela nos últimos anos.
Na primeira pista de sábado, a Ártemis estranhou a passarela, pulou do meio da subida dela e eliminou entrando em um túnel. A Thaís, como minha boa aluna que é, fez extamente o que tinha que fazer: Com o juíz apitando na cabeça dela pra ela sair de pista, ela fez a ártemis subir de novo na passarela e fazer o 2on2off e só depois saiu. Fez certinho, se tivesse saido sem terminar a passarela talvez a Ártemis fizesse a mesma coisa em todas as pistas. Pra isso que serve o iniciantes e é uma perca muito grande, repito, os iniciantes não poderem terminar a pista.
Na segunda pista ela foi bem também, se não me engano foi zerado e best lap! :)
Já no domingo, ela terminou as duas pistas, com uma falta e ficou em segundo!
Foi bem legal e a dupla está de parabéns!!

Seguem alguns vídeos da Thaís:





sábado, 5 de novembro de 2011

Festa

Alguns meses atrás fomos convidados a fazer uma apresentação de agility em uma festinha de criança.
A mãe da menina, Laura, me ligou falando que era o aniversário da filha mais nova, a Alice, mas que a mais velha ama cachorros e que ela queria fazer uma surpresa para ela.

Juntamos a cachorrada e os amigos e fomos. Eu, Tháis, Tairã, Joana e os cães: Léia, Kay, Uno, Ivy, Nyx, Tatou e Malu.
Foi pura loucura! A festa tinha uma duas dúzias de crianças, todas amaram os cães e queriam o tempo todos, enquanto montavamos a pista, ficar andando com esse ou aquele cão na guia, ou fazendo os truques que eles sabem.
Foi muito divertido e prazeroso ver a Laura, que realmente ama cachorros e tem um blog, super bem escrito, por sinal, sobre o assunto, se divertindo com os cães. A menina manda bem mesmo, conhecia várias raças, já sabia como cuidar de um cachorro e tudo o mais, fiquei impressionada!

Fizemos a apresenação de agility e de truques junto com um grupo de circo, o Carrossel Psicodélico, e foi muito legal pois como era nossa primeira apresentação assim eles ajudaram muito coordenando as crianças e tendo uma mega presença, falando alto e tals :)

Joana e Tatou, Thaís e Nyx, Laura e Ivy e a Alice a frente :)

Depois da apresentação, todas as crianças fizeram agility com os cães também, mas a grande maioria delas ficava felis de apenas andar com os cães na guia, de simplesmente estar perto ou cuidar dos cães. Foi muito divertido e convido todos a conhecerem o blog da Laura: www.blogdalaura.com.br

Essas crianças são o futuro da cinofilia, parabéns pra mãe dela que resolveu levar a sério a paixão da filha, se interessando genuinamente :)

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Sicalam, como foi?

Bom, o que dizer da Sicalam?

Todas as experiências de viagem para o agility foram únicas, cada qual com suas histórias e risadas, e essa não foi diferente!
Grande parte da loucura veio da Tháis, que arrumuo tudo para a viagem, eu praticamente só tive que arrumar a minha mala. Imagina... eu tinha acabado de sofrer uma experiência de provas muito ruim em São Paulo, então encarar o Uruguai.... Só de pensar já ficava nervosa!!

Léia com o mascote o Hostel
Eu cheguei no uruguai dois dias antes da Thaís e dos cães, o que deu um tempinho de conhecer o local. Achei lindo!! E apesar de não falar nada de espanhol, consegui me virar. Nós ficamos hospedadas em um Hostel, o Che Lagarto, preço MEGA em conta, pessoas do mundo inteeeeiro! Nos dois dias que fiquei lá sozinha, fiquei em um quarto com estranhos, foi bem legal! Com certeza, sempre que tiver a opção de ficar em bons hostels ao viajar, ficarei!
As patinhas no Hostel
Além de ser muito mais barato, os cães foram MEGA bem recebidos, abraçados, mimados e adorados! Eles até pintaram patinhas na parede do hostel, em homenagem aos cãezinhos :)
A Léia foi exclusivamente para competir no agility, mas a Ártemis foi como cão pacote completo: Agility e exposição.
A Thaís chegaria na madrugada de quinta para sexta, a sicalam começava na sexta. Eis que na quinta começou a chover muuuuito e o aeroporto foi fechado!!! Felizmente, o formato da exposição não prejudicou muito a Thaís, pois era uma pista por dia, e o agility era apenas no domingo.

Sábado nós ficamos apenas assistindo as pistas de exposição, muitos cães lindos, bem treinados, e a estrutura da Sicalam, algo que eu nunca tinha visto ao vivo, mas que me lembrava o crufts e outras exposições grandes, tudo muito lindo! A Sicalam foi um evento cinófilo de respeito, com exposição, agility, apresentação de cães dos bombeiros e um monte de outras coisas relacionadas a cães.

Ártemis na final do grupo
No sábado, a primeira grande emoção! Ao entrar no grupo, o juíz deu uma breve olhada em todas as raças e tirou 6 cães para fazer uma melhor avaliação, pedindo pro resto sair, entre esses cães estavam a Thaís com a Ártemis! Foi emoção demais ver ela concorrendo a uma final de grupo!

Kovu, BC da Gabi, e a Léia. Dois lindos, foto tirada pela talentosa Ale :)

No sexta também encontramos a Gabriela, que foi muuuito legal com a gente, e já nos conheciamos da internet! Ela nós reconheceu por causa da Léia e nós deu carona para o treino de agility na escola Agildogs, onde conhecemos o resto do pessoal, principalmente a Kathy, que é a treinadora da escolinha. Foi muito legal e todos foram muito receptivos. Como sempre uma das melhores partes do agility são as pessoas :)

Eis que chega o domingo! Eu estava uma pilha! Tinha inscrito a Léia não apenas no grau 1 mas também nas pistas extras que eram os jumpings do grau 2, e eram as primeiras pistas. Uma coisa muito legal que teve na sicalam foi reconhecimento de obstáculos, da mesma maneira que acontece em grandes competições internacionais. Foram poucos minutos, mas mais do suficientes para treinar um pouco de zona da Léia, acostumar ela com o slalom e com a casa. A Thaís teve menos tempo, pois na mesma hora estava entrando nas pistas da exposição com a Ártemis.

As duas pistas de jumping do grau 2 eu eliminei por erros bobos, mas confesso que estava despreocupada com elas. Foram ótimas para tirar a tensão inicial, e ninguem filmou elas para mim.
Então depois do agility grau 2, chegou a parte importante. Eu estava um pouco menos tensa que o normal, apesar de serem 4 pistas de grau 1, eram apenas dois juízes, então o máximo que eu iria conseguir seriam dois EZs.

Na primeira pista fizemos uma falta no slalom! NO SLALOM! eu não acreditei na maluca, hahaha! Poxa Léia, porque você tem que me fazer uma surpresa assim em todas as provas?
Mas fiquei feliz com a pista, tirando essa falta foi perfeitinha e, tchararara! A zona foi feita! linda! Esse era meu único objetivo em pista: Fazer a zona. Todos resto foi lucro :)



E a segunda pista: FOI ZERADA! Nosso primeiro excelente zerado! Que coisa linda! Tivemos apenas um momento feio na pista, quando a Léia quase eliminou correndo que nem uma maluca pra rampa, engraçado que foi dessa maneira que ela eliminou da ultima vez em são paulo, mas nada que a técnica secreta de grito da Val não resolvou xD



Depois dessa pista, eu já estava satisfeita! Toda a viagem já tinha mais do que valido a pena, com um EZ e com as zonas feitas, então entrei nas pistas seguintes bem mais leve.

Na terceira pista tivemos uma mega confusão no pneu, após um out, que nos rendeu um refugo. Tinha planejado fazer um blind ali, na hora não tive coragem e acabei fazendo um pivô que ficou aberto demais.



E na quarta pista, também um refugo, fiquei tão precupada em chamar ela para que não fosse ao túnel que me esqueci de lidar com a serpentina como deveria ter feito.



Depois das pistas de grau 1, foi a vez da thaís no iniciantes. Nossa maior precupação era a mesa, já que o iniciantes no Uruguai não tem passarela. Na primeira pista tiveram algumas faltas, um escorregão na mesa, mas foi tranquila!



A segunda pista da Thaís foi zerada, que lhe rendeu o primeiro lugar e as duas ultimas foram eliminações, mas pistas boas. Nas duas últimas a ártemis já não estava mais cansada da expo, e estava em sua velocidade normal, o que pegou a thais um pouco desprevinida :)

No final das contas, a thaís pegou o primeiro lugar em uma das pernas (Lá eles não premeiam o combinado, e sim as pernas), eu com a Léia pegamos dois primeiros e dois segundos, alem de ganharmos os premios de Best in Show grau 1 e Best in show geral, que eram dois troféis lindos, onde uma plaquetinha será colocada com o nosso nome :)
Os troféis





A viagem toda foi excelente, na segunda feira antes de eu ir embora ainda tivemos tempo de passear pela Rambla e deixar as cãs brincarem no mar.


Agora minhas empolgação de viagens está redobrada! Espero poder participar do A&C ano que vem e poder reencontrar algumas pessoas e conhecer outras novas :)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Sicalam, nós vamos!

Esse próximo final de semana vai ocorrer um mega evento cinófilo no Uruguai, a Sicalam, com direito a exposição de beleza e Agility, e nós aqui de Brasília resolvemos participar!

Partiu Uruguai com o cão maluco!
Eu vou viajar amanha, a Thaís segue na quinta com a Léia e a Ártemis, que irá não só participar da competição de agility como também das expos de beleza. Cãozinho multifuncional :P

Nem preciso dizer que estou MEGA nervosa né? O agility mesmo será apenas no domingo, e as inscrições encerram hoje. Espero que a gente consiga trazer bons resultados para o Brasil :))


sábado, 20 de agosto de 2011

Que zonas - Pequena queda

Bom, eras que não posto aqui, por um bom motivo.

Eu estava frustrada.
Mega frustrada.

No final de abril e começo de maio nós pegamos a estrada de novo para competir nas etapas duplas da copa Paulista e também resolver algumas coisas em SP. Seria minha primeira  (e, infelizmente, última) prova no CTA, estréia oficial de duas de nossas duplas iniciantes, Tháis e Ártemis e eu com o Renê, e eu estava mega confiante.
Seria a segunda prova no grau 1 da Léia e ela estava treinando mega bem, mas principalmente as zonas e o slalom. Particularmente, as zonas de passarela dela estavam lindas, maravilhosas, perfeitas!
Nos treinos, ela fazia a zona comigo parada no começo da passarela, e só saia com o OK, como deveria ser. Então fui pra SP com a convicção de que não teria problemas nem com isso, nem com o slalom.

De fato, slalom não foi problema algum, alias, em nossa segunda pista extra do G2 ela foi linda, fiquei pra trás e ela entrou lindinha no slalom e não saiu dele quando parti pra frente. Perfeita.


Veja bem a zona voadora desse cão maluco...


Mas a passarela, aah a passarela! Ela não acertou nenhuma. NENHUMA. Teve uma pista que o juiz não marcou a falta, mas que pra mim foi uma zona horrorosa, sem qualquer critério da parte dela. Então, em termos do treino, ela não acertou nenhuma.

video
A primeira zona pulada...

Eu fique tão surpresa com isso que na primeira pista que ela pulou a zona, com toda sua gazelisse e latindo a plenos pulmões, eu simplesmente parei. Eu não estava acreditando, e nesse meio segundo que eu parei ela eliminou.
Foi apenas a zona da passarela, gangorra e rampa foram lindas e até elogiadas por um dos juízes. Muito engraçado receber elogio por algo que estava me deixando tão frustrada naquele final de semana.

Esses são os dois únicos vídeos nossos do final de semana, infelizmente não filmei outra pistas pra poder ver mais coisas boas que possam ter ocorrido, mas se não me engano nos eliminamos duas pistas no sábado: a pista extra do grau 2 e essa do vídeo. Na segunda pista tivemos apenas a maldita falta da passarela, mas não me lembro como ela foi... No domingo eliminamos uma pista do grau 1, mas foi uma pista bonita: eliminamos em uma pseudo pegadinhas para cães muito rápidos: depois de fazer um pivô dei de cara com a gangorra, que era o próximo obstáculo, ao me arrumar para EU não subir na gangorra, virei o corpo um pouquinho pro lado e a Léia foi reta e certeira na Rampa A, que estava ao lado. Na segunda pista do grau 1 foi a que não teve falta de passarela (Apesar de eu ainda considerar que não houve passarela, de fato), e a pista extra é a do primeiro vídeo.

Quando voltamos pra Brasília, no primeiro treino após esse final de semana de horrores, eu montei a passarela e pensei "Bom, ela acabou de pular um milhão de zonas no final de semana, ela vai errar de novo, ou vou tirar ela de pista, caixa por uns minutos, e tudo vai ficar bem".
Tolinha.
Ela foi e fez a zona perfeita dela, como se o final de semana não tivesse existido.

Então, eu passei SEMANAS pensando no que ia fazer pra arrumar isso, planejando tudo que iria fazer, inclusive pensando em ambientes de provas, o que faria se ela errasse de novo em prova.

Todo esse planejamento culminou em dois treinos, o segundo deles no vídeo abaixo.



Espero que o treino seja suficiente para ela ter as zonas de volta, se não tenho algumas alternativas.

Mas o lado bom de toda essa história: As zonas dos meus próximos cães serão bem mais vigiadas. Se eu tivesse corrigido a Léia na primeira zona que ela pulou que nem uma maluca, uma única incidência isolada em um final de semana no InCão, provavelmente não teria chegado a esse ponto, de todas as zonas serem queimadas em um final de semana.
Sinceramente, eu não me importo nem um pouco com os refugos, a eliminação por condução errada minha, a barra que caiu do salto duplo, que nunca treinamos, mas ela ter errado algo que eu tinha certeza que não seria problema me deixou meio sem chão.
No fim, o final de semana até que foi bom: Terminamos uma pista de Grau 2, fiquei mega feliz com isso, e as outras duplas de Brasília fizeram uma mega estréia! Mas elas terão seu próprio post :)

quinta-feira, 16 de junho de 2011

O que fazer pelo bem estar do meu cão


Quando tratamos de bem estar canino, existem algumas coisas fundamentais, ao meu ver, que todo dono pode e deve fazer pelo seus cães.

Alimentação e saúde

Um dos pontos mais importantes para a saúde do seu cão, afinal assim como somos constantemente lembrados de que nossa saúde e bem estar depende muito do que comemos, não é diferente com os cães.
Entre os dois primeiros meios de alimentar cães com qualidade estão as rações industrializadas Super Premium e a Alimentação Natural. Enquanto que na primeira temos a praticidade, tanto de não ter que preparar, se planejar, nem de termos que estudar e a dispensa de acompanhamento profissional, na segunda temos, ao meu ver, uma alimentação mais rica e saudável, sem a presença de aditivos, com alimentos frescos que sofreram poucos processos industriais, portanto com mínima perca nutricional.


O que não deve-se fazer para alimentar os peludos: Complementar a ração sem acompanhamento de um veterinário nutricionista ou um zootecnista; Inventar uma alimentação caseira, sem estudo prévio ou acompanhamento de um profissional qualificado; oferecer chocolate, cebola, ossos cozidos, doces, açucares, entre outros; Oferecer mais comida do que o seu cão necessita. Cães são animais glutões por natureza, logo é muito fácil que se tornem obesos se o dono oferecer uma quantidade exagerada de comida.

Acompanhamento no mínimo anual no veterinário também é um das coisas mais fundamentais que você pode fazer pelo seu cão.


Exercícios

Outro ponto muito importante para a qualidade de vida e saúde de cães. Cães são animais feitos para caminhar longas distâncias todos os dias, a procura de alimentos e, infelizmente, hoje em dia é muito comum ver cães que possuem pouco ou nenhum exercício em sua rotina diária, bem como cães obesos ou com sobre peso.

Cães com sobrepeso devem passar por uma reeducação alimentar, lembrando-se sempre que cães saudáveis geralmente possuem um grande apetite.

Exercício, contato social e estimulação mental
O exercício deve fazer parte da rotina do seu cão, seja ele caminhadas, pratica de esportes tais como Agility, frisbee ou o simples jogar de uma bolinha, mas deve sempre respeitar o desenvolvimento e as capacidades físicas do seu cão. Antes de começar alguma atividade, faça um check up veterinário para excluir a possibilidade de doenças tais como cardiopatias ou doenças articulares.

Estimulação mental

Esta é uma das necessidades mais negligenciadas, ao me ver, ao animais de companhia hoje em dia. Estimulação mental significa cansar o cão mentalmente, seja por atividades desafiadoras, que o façam pensar, ou por enriquecimento ambiental ou por meio de contato social.
Uma das formas mais comuns de estimulação mental para os cães são os passeios. Andar com seu cão não é apenas importante para que ele faça as necessidades na rua, mas ao entrar em contato com pessoas, cheiros e sons diferentes o cão é estimulado mentalmente. Por isso os passeios são tão importantes.

O adestramento, desde que positivo, também é uma ótima forma de estimulação mental. Ensinar ao seu cão truques de forma positiva e divertida, bem como fazer a educação básica dele dessa forma cansa o cão mentalmente, fortalece os laços entre cão e dono e torna convivência mais harmoniosa.



Kong
Por fim, o enriquecimento ambiental consiste em deixar o ambiente em que o cão vive mais interessante e desafiador, seja por meio de brinquedos inteligentes, tais como os Kongs, ou por meio de brincadeiras tais como esconder a comida pela casa, jogar a ração na grama ou até mesmo pela disponibilidade de "brinquedos" que possam ser destruídos, tais como bichos de pelúcia ou caixas de papelão. Os cães adoram, isso satisfaz as necessidades deles de destruir e torna o ambiente menos entediante.

Socialização e contato social

Cães são animais sociais por natureza. Um cachorro que vive apenas no quintal ou no canil, sem nenhum contato com outros cães ou pessoas não é um cão saudável ou feliz.
Encontros com outros cães ou pessoas em passeios, parques caninos, day cares, todos são oportunidades de contato social para o cão.

Alem disso, filhotes devem ser socializados. Socialização significa acostumar o cão com estímulos que ele possa encontrar no futuro, então é muito importante que os donos no período de socialização façam com que  filhote tenha contato com o maior numero de pessoas, cães e situações possíveis, sempre de forma positiva e divertida, e respeitando os limites do filhote.



Os cães possuem necessidade diferenciadas das nossas, que vão alem da tríade Carinho-Comida-liderança. Entender, respeitar e prover pelas necessidade de caça, contato social e estimulação mental, juntamente com o cuidado pela saúde, alimentação e exercícios tornam a vida do seu cão completa, e a convivência muito mais pacífica.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Agressividade contra humanos

Abaixo vão dois videos mostrando 3 tecnicas diferentes de lidar com cães que possuem agressão por medo.

O primeiro video é o mais imformativo, infelizmente sem legendas, mas um treinador usa Flooding e outro Desensibilização sistemática e contra condicionamento.
Vale muito a pena ver, inclusive foi uma das unicas vezes que vi um flooding bem feito.



Segundo video é um do Cesar Millan lidando com o mesmo tipo de agressão, mas da maneira dele.



Toda a agressividade e stress do Millan é justificada quando no primeiro vídeo o cachorro teve uma resposta positiva até mais rápido do que com o método dele?

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Comofas


Atenção garotãoooo....



ok!



Bom....



O.õ



wtf?!?




....


Seu maluco!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Treino sábado

Sem vídeos, mas tenho desenho da pista, que foi postada pelo AgilityNerd.



Pistinha dificil viu! Fizemos sem os contatos, já que ninguem tava a fim de carregar eles mesmo, então foi dividida em dois.

Foi bacana para ver fraquezas na condução e pontos a melhor no slalom, tanto da Léia quanto da Ártemis.
Fazia tempos que não pegava uma pista para treinar que fosse difícil, que fizesse a gente errar,então foi muito legal. Pra melhorar a gente tem que sair da zona de conforto.


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

365 dias de maluquice


Sim, faz 1 ano que o mundo, o universo, tem que lidar com uma energia de maluquice hiper concentrada, que é o meu doido, meu garotão, meu caçula, o Uno!

A história de como ele veio parar em minha vida é um pouco parecida com a história da Laura, dona do irmão da cara preta do Uno, o Nankin. Mas também é diferente.
Quando começei a praticar agility queria um dia ter um agility 3 em 1: Um mini, um mid e um standard. Pensando em quais raças eu poderia ter para um standard, passei por várias, mas confesso que o que me cativou não foi a raça em si, mas a criação de um canil muito especial, que se encaixava na minha regra de "Nunca comprar de um criador que faça algo que eu não faria". Esse canil é o Emporium dos Cães.
Eu pensei em ter Malinois, mas achei que seria energia de mais para mim, labradores e goldens a criação seria é meio controvérsia, e criadores que eu gostava criam cães de exposição, pesados de mais. Isso me deixava com os Borders, e eu já tinha um canil que admirava, então as coisas se tornavam mais fáceis. Também treinava um border, o Pepper, e eu AMO ele! Era fofo, inteligente e uma delicia de treinar!

Pepper
Conheci a Camila em 2009, em um curso de adestramento que fiz em são paulo, mas quem me deixava a par dos acontecimentos era meu querido amigo, o Felipe, dono do meio irmãozão lindo do Uno, o Jack.
E eu queria um red merle, claro.

Eis que um dia o Felipe me conta da ninhada Milka com um filho do Billy Boy. Billy Boy! Aquele doido, campeão mundial, pai e avô de tantos outros cães bons e lindo! Aqui em brasília tenho contato com um filho do Billy Boy e adoro o cão! Então essa palavra mudou minha preferência na hora, cor já não era mais importante.

Doidinho desde nenêm
Dia 18 estava no computador quando recebo o aviso: nasceu a ninhada! E ai foram longos 60 dias de espera, mesmo porque eu não sabia qual seria o meu, e isso não importava porque eles todos eram lindos!! Quando a ninhada tinha 3 semanas eu fui visitar a Cá e conhecer o peludinhos. Todos lindos, fofos e apertáveis. Mas tinha aquele machinho, da cara mais branca, o billy boyzinho. Estávamos em volta dos filhotes conversando, e esse maluquinho tentava se comunicar com o mundo, parecia que tinha acabado de descobrir que tinha voz e achava estranho, então ficava ensaiando um latido, fazia Raawwwr! Raaawwwr! Um fofo! Eis que a Camila responde com um Rawr de volta, ele para, vira a cabeça de lado, e sai correndo, que nem um doido, na direção dela, todo feliz, como se tivesse entendido "Aaaah É assim que converso com os outros!".
Jamais vou esquecer essa cena. E ele com certeza jamais esqueceu de como se conversa com humanos, sempre conversamos com resmungos.

Então, como fiquei feliz em saber que ele seria meu, quando chegou a época da escolha! Ele era perfeito! Ele era único, Uno.
Chegou aqui tão pequeno, e até hoje é o meu bebezão, o caçula, neném de colo. E como adorava um carinho, conversava comigo todos os dias, falando em Border Colliês, olhando nos meus olhos.
E como era maluco! A primeira vez que descobriu uma garrafa pet, bolinhas, cabo de guerras, tudo sempre muito gostoso de fazer com ele. A felicidade de cada truque novo, com a extrema facilidade que ele tem de aprender...

Uno e Bjorn: o gordo e o magro
Uno é um grande bobo, as vezes. É reservado com estranhos, mas faz o maior escândalo com pessoas que ele conhece, pula, chora, resmunga, conversa. Pra mim ele está claramente dizendo "Nossa! Quanto tempo! Que bom te ver! Me dá um abraço!". Apanha do Renê, corre de pinschers na rua... Fica o tempo todo por perto quando estou no PC, sendo que muitas vezes aparece um brinquedo no meu colo, acompanhado de olhos malucos e a pose típica de border collie. E apesar de ser um border bem 220, ele é super tranquilo em casa. As pessoas as vezes não acreditam, mas eu sempre achei que ia ser muuuito mais difícil ter um BC em apartamento. As vezes sinto falta dele bebezinho, mas quando penso em tudo que temos pela frente, fico ainda mais animada.

Mas o que realmente me encanta, é o entusiasmo! Tudo que ele faz, ele se joga. É pra aprender a dar a pata?   Porque não pular na mão da minha dona com as duas patas e jogando todo o peso do corpo? Eu parei de treinar os truques Morto e Preguiça com ele porque ele se jogava com tudo de costas no chão, ficava com medo dele se machucar.

Lindão!
Foi um belo inicio de jornada, apesar da afobação de fim de graduação, o que me faz pensar um pouco que eu poderia ter treinado 100x mais com ele, olho os videos agora, o garotão que ele se tornou e me sinto muito orgulhosa de ter esse malucão na minha vida. É, realmente, um privilégio.


1 ano
Tenho que agradeçer a camila um milhão de vezes por ter me dado a honra de ter um primeiro BC tão especial quanto o Uno! E ao Felipe também, pois foi a relação dele com o Jack que me fez decidir de vez por um BC e ainda mais por um filho da Milka. Ele é tudo que eu esperava, e muito mais.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Drive por brinquedos

Um conselho que vejo da Susan Garrett inumeras vezes: Se você quer que seu cachorro se interesse por brinquedos, você tem de estar genuinamente interessado em brincar com ele.

Eu tentei inúmeras vezes aumentar o drive da Léia por brinquedo, mesmo ela tendo mais do que suficiente drive para comida, isso porque existem formas interessantes de recompensar com o brinquedo que com a comida as vezes complica um pouco. Sem contar que a interação que você tem com seu cachorro quando brinca de cabo de guerra com ele é muito diferente de quando você lhe entrega um petisco.

Então eu tentava, e tentava, e tentava, e algumas coisas funcionavam. Por breves segundos, alguns dias, mas nunca em situação de alto stress ou distrações, sempre apenas em casa.

E eis que chega o Uno, com toda sua maluquice direcionada a tudo que se move. Aprender a brincar com ele foi muito fácil e é muito divertido! Jogar bola, frisbee, cabo de guerra, brincar com garrafa pet...

Assim, esses objetos começaram a se tornar interessantes para os outros dois! Episódios do Renê roubando brinquedinhos do Uno começaram a ficar frequentes. Renê sempre queria o brinquedinho que eu estava brincando com o Uno, não importava quantos ele já tinha roubado, levado pro canto dele e deitado em cima.
Eis que um dia estou no treino, jogando frisbee pro Uno e do nada pula uma Léia de boca aberta no frisbee! Linda! Quando ela era filhotinha eu tinha até comprado um frisbee de pano para ela, mas nunca gostou muito dele. Imaginem a minha surpresa.

Claro que ela ainda prefere o petisco, mas meu interesse genuíno em brincar despertou nela o que eu tentava a eras fazer, sem muito entusiasmo :)



domingo, 16 de janeiro de 2011

Match de Agility em Uberlândia

Ok, antes tarde do que nunca certo?
Final de ano foi pura loucura, e o começo do ano também não está muito diferente.

Em novembro, rolou em Uberlândia um Match de Agility, organizado pelo canil Anjo da guarda. Eu, como boa viciada, coloquei todo mundo no carro, arrumei a companhia da Tula do blog CãoNatural e partimos! Levei todos os cães, Uno apenas para socializar e passear, mas Léia e Renê inscritos! Estava super nervosa com a estréia do meu orelhudo.
A viagem foi tranqüila, saímos a noite e chegamos lá pela manhã, fava tempo de comer e tirar um cochilo antes da prova. Fomos muito bem recebidos pelo pessoal do Anjo da Guarda, o Cleber e a Fabiana! Claro que ninguém dormiu, ficamos conversando, descobrir que em breve haverá uma pista de agility em Goiania, fiquei super feliz. Haviam varias pessoas de vários locais, inclusive o pessoal do Canil Prisman de BH. Foi muito bacana conhecer todos eles.

Na prova, eram duas categorias, Iniciantes e Avançados, sendo que os iniciantes fariam apenas uma pista e os avançados Agility e Jumping. Duas coisas me preocuparam, nunca tinha feito jumping na vida com a Léia e  o Renê era o primeiro cão do dia. Nervosismo a mil, entramos na pista:



O orelhudo Zerou! Ele foi meio lentinho no começo, mas no final já tinha pego o embalo. Fique super feliz (Ainda mais pq ele não surtou com o menino que passou correndo atrás dele antes da pista xD) com o resultado, ficamos em primeiro lugar :)


A viagem já tinha valido a pena! Assim como fiz com a Léia, o Renê nunca tinha feito uma pista completa antes da sua estréia, e fiquei um pouco apreensiva dele ficar cansado no meio e divagar. Mas ele foi lindo e perfeito e tenho muito orgulho desse meu orelhudo.

Depois, foram as pistas do avançados. Felizmente eu não era a primeira, mas no agility estava fazendo um calor infernal e a pista tinha que correr. Legal. Acabei deixando uns refugos bobos acontecerem porque eu fique para trás e tivemos falta no slalom, resolvi fazer pivo na frente, ao invés de cruzar por trás dele, e acabei ficando no caminho da entrada. Super esperta.



Nojumping, pra minha felicidade, tinha uma corrida maior ainda. Resolvi testar uma super condução a distância, a partir do segundo tunel, e foi lindo! Apenas tivemos refugo na casa afinal eu nunca tinha treinado a casa com esse tipo de distância.



No final, ficamos em segundo lugar :)


No mais, foi um final de semana muito agradável! Pessoal da organização caprichou no evento, os prêmios eram lindos e ainda tinha premiação de ração ou suplemento dado pelo patrocinador.
Foi legal conhecer treinadores de outros estados, como Goiania e Araxa, que estavam lá para pretigiar o evento e conversar pois querem começar as suas escolas de agility e foi bom ver o potencial das duplas do centro-oeste! Tinham cães ótimos com condutores bons também e acho que todos merecem os parabéns!

Espero poder participar de mais provas, oficiais ou não, com esse pessoal. Abaixo vão algumas fotos do evento.

Quase que eu levo pra mim xD













Mais vídeos das duplas: http://www.youtube.com/user/Tulabial
Mais fotos: http://www.caonatural.com/2010/12/agility-uma-viagem-ao-ceu.html